Análise: Tales of Arise

Tales of Arise, o mais novo episódio da série de JRPG, veio com a intenção de revitalizar e expandir a franquia, que ainda é considerada como de nicho. Para isso, o título conta com visual estonteante e um combate em tempo real frenético e divertido, além de várias outras mudanças e novidades. Mas por trás das renovações dos gráficos e sistemas, é fácil perceber que este Tales ainda é bastante conservador e explora novamente vários conceitos tradicionais da franquia. Como resultado, temos uma aventura envolvente e bem acabada, porém um pouco familiar demais — para o bem e para o mal. Continue Lendo “Análise: Tales of Arise”

Análise: TOEM

TOEM é um daqueles jogos que nos convida a relaxar em uma carismática e suave experiência. Com uma câmera na mão, desbravamos um mundo repleto de personagens e localidades peculiares em que tirar fotos é a solução para a maioria dos problemas. A temática descomplicada, o ritmo tranquilo e uma direção de arte monocromática charmosa tornam essa viagem bastante agradável. Continue Lendo “Análise: TOEM”

Análise: El Shaddai: Ascension of the Metatron

El Shaddai: Ascension of the Metatron é no mínimo peculiar. O jogo usa como base um texto bíblico apócrifo supostamente escrito pelo antecessor de Noé para criar uma surreal aventura de ação, plataforma e combate. Um ponto notável é a direção de arte: o título é artisticamente criativo e repleto de cenas visualmente interessantes. Considerado um clássico cult obscuro do PlayStation 3 e Xbox 360, El Shaddai agora reaparece nos PCs em um port conservador. Continue Lendo “Análise: El Shaddai: Ascension of the Metatron”

Análise: Void Tyrant

Em Void Tyrant, um ser maligno ameaça a paz da galáxia e heróis precisam impedi-lo. Essa premissa é explorada em um RPG com sistema de combate único que mescla elementos de Blackjack e construção de baralhos, resultando em embates estratégicos com pitadas de sorte. Uma estrutura roguelite e boa quantidade de conteúdo desbloqueável nos incentivam a continuar jogando, mas alguns problemas de balanceamento e variedade limitada de situações atrapalham a experiência. Continue Lendo “Análise: Void Tyrant”

Análise: Recompile

Recompile tem uma proposta no mínimo interessante: no controle de um programa, precisamos consertar um computador mainframe por dentro. O jogo usa essa premissa em uma aventura de ação e plataforma 3D por um mundo digital visualmente único em que é possível hackear inúmeros elementos. A ideia principal é bem interessante, mas, infelizmente, o título esbarra em inúmeros problemas estruturais que tornam a experiência completamente esquecível. Continue Lendo “Análise: Recompile”

Análise: Dodgeball Academia

Dodgeball Academia pega o conceito principal da queimada e combina com poderes e movimentos exagerados para criar partidas impressionantes. Além disso, o novo jogo do estúdio paulista Pocket Trap também conta com elementos de RPG, o que introduz camadas de complexidade aos embates. Esses conceitos, em conjunto com um universo colorido e bem-humorado que lembra um cartoon, resultam em uma experiência divertida e singular. Mesmo assim, o jogo peca ao subaproveitar suas ideias, o que torna a jornada um pouco repetitiva. Continue Lendo “Análise: Dodgeball Academia”

Análise: Dreamscaper

Em Dreamscaper, precisamos desbravar sonhos e pesadelos em uma aventura de ação roguelite repleta de ideias bacanas. O jogo se alterna entre dois momentos interligados: durante o sono, atravessamos calabouços surreais repletos de perigos; de dia, exploramos uma cidade e fazemos amigos. A diversidade de armas e poderes, que podem ser combinados de inúmeras maneiras, é um dos destaques, assim como a narrativa interessante que aborda traumas emocionais. Mesmo com alguns problemas de fluidez e repetição, o jogo oferece uma experiência familiar e cativante. Continue Lendo “Análise: Dreamscaper”

Impressões: Samurai Gunn 2

Em Samurai Gunn 2, espadachins armados com pistolas se enfrentam em embates extremamente rápidos. A sequência do frenético multiplayer expande os conceitos do original com personagens de habilidades únicas, modo aventura e suporte a partidas online. Lançado em Acesso Antecipado, o jogo já impressiona com seus combates robustos, por mais que ainda haja espaço para melhorias. Continue Lendo “Impressões: Samurai Gunn 2”

Análise: Death’s Door

Em Death’s Door, um corvo ceifador de almas sai em uma jornada por uma região perigosa depois que sua última missão é interrompida. O jogo se inspira em clássicos, como Zelda, para criar uma aventura com combates brutais, puzzles e inúmeros segredos, focando em desenvolver bem alguns poucos elementos. Além disso, seu universo sombrio cativa com personagens carismáticos, visual exuberante e ótima música. A mescla dessas qualidades resulta em uma experiência memorável e divertida. Continue Lendo “Análise: Death’s Door”

Análise: Mini Motorways

Cuidar do tráfego viário de uma grande cidade parece uma tarefa enfadonha, no entanto Mini Motorways prova exatamente o contrário. O jogo, que é uma sequência do puzzle metroviário Mini Metro, desafia o jogador a desenvolver o trânsito de uma metrópole em expansão por meio de mecânicas simples e repletas de nuances. Além disso, o título chama a atenção com seu visual minimalista vibrante, resultando em uma experiência simultaneamente relaxante e desafiadora, mas que peca um pouco na variedade de situações. Continue Lendo “Análise: Mini Motorways”