Análise: FAR: Changing Tides

Um garotinho controla, sozinho, um estranho barco e explora um vasto oceano em FAR: Changing Tides. No decorrer da jornada, aparecem complicações e obstáculos na forma de puzzles, mas, na maior parte do tempo, nada acontece — a intenção é justamente mergulhar na atmosfera bela e singular desse mundo desolado. O jogo é a continuação de FAR: Lone Sails e expande muitas das ideias do antecessor, porém momentos de marasmo e complicações desnecessárias atrapalham a experiência. Continue Lendo “Análise: FAR: Changing Tides”

Minhas leituras favoritas de 2021

Em 2021 eu mantive o meu ritmo de leitura dos anos anteriores mesmo com uma rotina inconstante: tive alguns momentos bastante intensos e repletos de histórias, já em outras épocas eu fiquei semanas sem ler ao menos uma página. É natural que isso acontecesse, afinal meu 2021 foi bem caótico e repleto de mudanças. Mesmo assim, conferi algumas histórias bem bacanas, porém nada muito diferente do meu usual (o que não é ruim, pelo contrário). Continue Lendo “Minhas leituras favoritas de 2021”

Meus jogos favoritos de 2021

O ano de 2021 pareceu uma continuação de 2020 e, para mim, passou voando, pois muita coisa aconteceu. No mundo dos games, continuei buscando experimentar alguns títulos não muito usuais e poucos conhecidos, em especial produções indies. Agora, em retrospecto, eu percebo que começo a cair em alguns padrões (como roguelikes), mas, mesmo assim, tive a oportunidade de testar muitos jogos criativos. Continue Lendo “Meus jogos favoritos de 2021”

Minhas leituras favoritas de 2020

2020 foi puro caos, porém, curiosamente, consegui manter constante o meu ritmo de leituras. A minha diversão em ler neste ano teve algumas viradas interessantes. Para começar, me rendi de vez aos ebooks e ao Kindle: de todas as obras que li, somente uma foi em um livro físico. Também aproveitei para conferir o trabalho de alguns autores contemporâneos brasileiros, entre contos e romances, e gostei bastante — alguns, inclusive, escolhi como favoritos do ano. Continue Lendo “Minhas leituras favoritas de 2020”

Análise: Going Under

Going Under é um dungeon crawler fora do comum. Uma estagiária recebe a tarefa de desbravar escritórios amaldiçoados e, para se defender, ela se vê usando objetos do cenário: teclados, cadeiras, monitores e laptops viram armas letais. Esse conceito maluco é explorado em uma jornada de desafio intenso por um mundo bem humorado e repleto de referências. Mesmo com alguns contratempos, o jogo conquista com seu carisma e ritmo ágil. Continue Lendo “Análise: Going Under”

Impressões: Cloud Gardens

Cloud Gardens apresenta um conceito no mínimo inusitado: o objetivo é transformar locais abandonados em pequenos jardins. Idealizado pelo mesmo criador do título de estratégia minimalista Kingdom, Cloud Gardens oferece uma experiência descompromissada e relaxante em uma mescla de puzzle e ferramenta de criação. Lançado no PC em Acesso Antecipado, o jogo já conta com base sólida e ares de completude.

Continue Lendo “Impressões: Cloud Gardens”

Impressões: Control

Control, o último jogo da Remedy Entertainment (de Quantum Break) foi um título que não me chamou muita atenção em um primeiro momento, mesmo sendo muito falado pela crítica. No entanto, apareceu a oportunidade de experimentá-lo (meu irmão comprou o jogo em uma promoção), acabei dando uma chance e gostei bastante da mistura de tiro, ação e poderes paranormais.

Continue Lendo “Impressões: Control”

Resenha: Recursão, de Blake Crouch

“É intenso demais. Pior que a tortura da asfixia, mas igualmente fora de seu controle, porque não é uma lembrança que ele esteja buscando por conta própria. De alguma forma, está sendo projetada em sua mente, contra sua vontade, e lhe ocorre que talvez haja um motivo para nossas lembranças serem armazenadas com um ar nebuloso e desfocado. Talvez a abstração que as reveste sirva como um anestésico, um amortecedor que nos protege da agonia do tempo e de tudo que ele rouba e apaga de nossa vida.”

Conheci Blake Crouch por meio de seu livro Matéria Escura, o qual li em pouquíssimos dias por causa de sua trama interessante e excelente ritmo. Sendo assim, fiquei animado quando soube da existência de Recursão, seu segundo trabalho. Assim como a obra anterior, o novo livro usa um aspecto científico para criar uma história única de ficção científica misturada com mistério em uma narrativa ágil, em uma interpretação bem pensada de viagem no tempo. Continue Lendo “Resenha: Recursão, de Blake Crouch”

Minhas leituras favoritas de 2019

O meu ano de 2019 foi um pouco mais inconstante e muitas coisas aconteceram em ciclos — teve momentos que eu consegui me concentrar bem, em outros os hábitos sumiram quase que completamente. Isso se refletiu nas minhas leituras do ano, que tiveram grande variação: alguns livros eu li em dois dias, outros demorei semanas, e também tive períodos longos sem ler. Mas mesmo assim, milagrosamente, bati minha meta de 30 livros. Continue Lendo “Minhas leituras favoritas de 2019”

Meus jogos favoritos de 2019

Meu 2019 foi bem interessante e recheado de jogos. Sempre fui entusiasta de indies, logo boa parte dos mais de 60 títulos que tive a oportunidade de experimentar foram produzidos por equipes independentes. No entanto, felizmente, também consegui jogar algumas produções maiores, assim como alguns títulos de 2018 que eu tinha interesse (como God of War e Octopath Traveler).
Continue Lendo “Meus jogos favoritos de 2019”