Análise: The Gunk

Um planeta tomado por uma estranha gosma é o cenário de The Gunk. No controle de uma garota equipada com uma manopla mecânica, exploramos localidades deslumbrantes em uma aventura de ação e plataforma bem tradicional. O primeiro trabalho 3D do estúdio sueco Image & Form, que é conhecido pela série SteamWorld, tem ambientação e visuais notáveis, mas decepciona pela sua interpretação rasa de conceitos consagrados. Continue Lendo “Análise: The Gunk”

Análise: Otherworld Legends

Otherworld Legends usa conceitos consagrados em uma intensa aventura de ação. Não há grandes mistérios aqui: no controle de diferentes heróis, descemos o sarrafo em inúmeros inimigos e chefes. É difícil não se divertir com os comandos fáceis e ação fluida, mas a superficialidade dos sistemas fica aparente muito rápido. Lançado anteriormente para dispositivos móveis, o jogo chega ao PC em uma adaptação tecnicamente preguiçosa e com os vários problemas desagradáveis do modelo free to play. Continue Lendo “Análise: Otherworld Legends”

Análise: Loot River

Loot River aposta em um conceito único: para avançar por masmorras alagadas, usamos blocos flutuantes para deslizar pela água. O jogo se autodenomina uma mistura entre Dark Souls e Tetris, e essa é uma boa maneira de descrevê-lo, por mais que não seja completamente precisa. Por trás da ideia singular, temos uma aventura de ação de dificuldade brutal e algumas boas ideias, mas problemas na execução comprometem a experiência. Continue Lendo “Análise: Loot River”

Análise: Anuchard

Anuchard parece ter vindo direto da década de 90 com seu colorido visual em pixel art e ideias principais descomplicadas. Na pele de uma jovem armada com um sino, exploramos calabouços e resolvemos puzzles em uma simpática aventura de ação com toques de RPG. A atmosfera retrô, um mundo pitoresco e mecânicas simples são os principais atrativos do título, no entanto a simplicidade geral incomoda a ponto de comprometer a experiência. Continue Lendo “Análise: Anuchard”

Impressões: The Iron Oath

Em The Iron Oath, administramos uma guilda de mercenários em uma jornada por um reino repleto de perigos e complicações. O jogo mistura administração de recursos, exploração de calabouços e combate por turnos para criar uma experiência tática elaborada. Lançado em Acesso Antecipado, o título impressiona com sua ambientação e suas mecânicas, porém muitas de suas ideias precisam de maior desenvolvimento para que ele possa se destacar no gênero. Continue Lendo “Impressões: The Iron Oath”

Análise: Revita

Revita é um título indie de ação e tiro 2D com um conceito singular: para comprar itens e melhorias, é necessário sacrificar parte da vida do protagonista. Essa característica, em combinação com batalhas frenéticas e dificuldade acentuada, cria constantes dilemas de risco e recompensa. Grande variedade de poderes e modificadores tornam cada partida única e há muito conteúdo a ser desbloqueado. O resultado é uma experiência notável, por mais que com problemas em alguns aspectos. Continue Lendo “Análise: Revita”

Impressões: Astral Ascent

Em Astral Ascent, um grupo de heróis precisa enfrentar inúmeros perigos e derrotar entidades poderosas para escapar de uma prisão astral. O jogo é uma aventura de ação com elementos de roguelike cujo destaque é o sistema de combate ágil focado em combos e feitiços diversos. Além das ótimas batalhas, o título impressiona com ambientação bem trabalhada e algumas ideias interessantes. A versão de lançamento em Acesso Antecipado dá uma boa ideia do que esperar da aventura, por mais que muitos de seus aspectos ainda precisam ser melhor desenvolvidos. Continue Lendo “Impressões: Astral Ascent”

Análise: Insurmountable

Insurmountable transforma a perigosa atividade de escalar montanhas em uma curiosa mistura de puzzle, aventura e sobrevivência. Além de termos que gerenciar a temperatura e a energia do nosso personagem, precisamos também resolver inúmeros eventos. O conceito principal é bem único e elementos de roguelite ajudam a trazer diversidade, mas logo a aventura se torna cansativa por causa da estrutura e conteúdo limitados. Lançado originalmente em 2021, o jogo recebeu várias novidades significativas via atualização gratuita que ajudam a amenizar seus problemas. Continue Lendo “Análise: Insurmountable”

Impressões: Ember Knights

Em Ember Knights, guerreiros flamejantes exploram universos distorcidos para tentar salvar o seu próprio mundo. A aventura hack and slash tem ritmo acelerado e muitas técnicas e habilidades para experimentar, além de elementos de roguelite para trazer diversidade às partidas. Lançado em Acesso Antecipado, o jogo já agrada com seu visual pixel art caprichado e boas mecânicas, mas ainda precisa receber conteúdo para se tornar imperdível. Continue Lendo “Impressões: Ember Knights”

Análise: Orbital Bullet

Orbital Bullet é um título indie de ação 2D que chama a atenção com seu design de estágios peculiar: cada fase consiste em uma série de arenas no formato de anel. Combates intensos repletos de tiros, esquivas e perigos, em conjunto com elementos aleatórios, resultam em uma experiência ágil e competente. No entanto, o jogo logo cansa com sua falta de originalidade e constante sensação de repetição. Continue Lendo “Análise: Orbital Bullet”