Análise: Fight’N Rage

Fight’N Rage parece um jogo da era 16 bits com seu visual em pixel art e mecânicas já conhecidas de beat ‘em ups, ou seja, descer a porrada em todos os inimigos que aparecerem pelo caminho. No entanto, o título vai além e moderniza vários conceitos do gênero na forma de um sistema de luta variado e ágil. Esses detalhes, em conjunto com uma quantidade extensa de conteúdo e parte técnica impecável, fazem com que Fight’N Rage seja uma experiência excepcional — o considero um dos melhores beat ‘em ups que joguei até hoje. O jogo fica ainda mais impressionante quando você descobre que ele foi produzido por um único desenvolvedor, afinal o título transborda qualidade e conteúdo. Continue Lendo “Análise: Fight’N Rage”

Anúncios

Análise: Overland

Um mundo devastado tomado por criaturas bizarras é o cenário de Overland. Neste título indie, acompanhamos um grupo de sobreviventes que tenta encontrar um local seguro em meio ao caos em uma mistura de puzzle, estratégia e sobrevivência. Há algumas ideias e mecânicas interessantes, porém sistemas obtusos, andamento imprevisível e dificuldade muito acentuada atrapalham a experiência. Continue Lendo “Análise: Overland”

Análise: Sayonara Wild Hearts

Sayonara Wild Hearts chama a atenção com sua ambientação estilosa e marcante.  No título, acompanhamos uma motoqueira mascarada que corre em altas velocidades por mundos surreais e com cores neon enquanto coleta corações — tudo isso ao som de música electropop contagiante. Mais que um simples jogo, Sayonara Wild Hearts é uma experiência sem igual. Continue Lendo “Análise: Sayonara Wild Hearts”

Análise: Astral Chain

Astral Chain, novo jogo de ação da desenvolvedora nipônica PlatinumGames, aposta em um conceito criativo: controlamos simultaneamente um herói humano e uma besta de outra dimensão, ambos ligados por uma corrente especial. Pode parecer um pouco complicado, mas essa configuração inusitada cria um combate dinâmico, estiloso e divertido, como é de praxe da desenvolvedora. Além disso, há várias outras atividades fora da batalha na forma de investigação e inúmeros casos paralelos espalhados pelo mundo. A combinação desses elementos faz com que Astral Chain seja uma experiência estranha, diferente e empolgante. Continue Lendo “Análise: Astral Chain”

Análise: Wand Wars

Feiticeiros e outras criaturas mágicas (ou não) se enfrentam em Wand Wars, título independente com foco em partidas multiplayer. O objetivo é rebater uma esfera mágica e tentar acabar com os oponentes em batalhas acirradas e repletas de reviravoltas. Com regras fáceis de entender, muitos modos de jogo e uma atmosfera carismática, o título oferece uma experiência divertida e ótima para curtir com amigos. Continue Lendo “Análise: Wand Wars”

Análise: Blasphemous

Um reino grotesco dominado por uma religião distorcida é o cenário de Blasphemous, título de ação e plataforma com aspectos de metroidvania produzido pelo estúdio espanhol The Game Kitchen. Na pele de um guerreiro que busca redenção, exploramos um grande mundo repleto de criaturas grotescas, batalhas complicadas e muitos desafios. Uma ambientação exótica, sistemas de qualidade e dificuldade acentuada fazem com que Blasphemous se destaque em uma experiência intensa e arrebatadora. Continue Lendo “Análise: Blasphemous”

Análise: Creature in the Well

O conceito principal de Creature in the Well é no mínimo criativo. Em um primeiro momento ele parece uma simples aventura de exploração de calabouço com visão aérea, no entanto o local está repleto de desafios fortemente inspirados em máquinas de pinball. O resultado é um jogo bem diferente e interessante, mas que perde o fôlego com o passar do tempo. Continue Lendo “Análise: Creature in the Well”

Análise: Moonlighter — Between Dimensions

Em Moonlighter acompanhamos Will, um rapaz que cuida de uma loja de dia e explora calabouços em busca de mercadorias durante a noite. Between Dimensions é a primeira expansão paga do jogo e tem como novidades a inclusão de um novo calabouço, itens inéditos, trechos de história e mais. O pacote não traz conteúdo muito diferente do jogo base, mas não deixa de ser um ótimo incentivo para revisitar a vida dupla de Will. Continue Lendo “Análise: Moonlighter — Between Dimensions”

Análise: LOST ORBIT: Terminal Velocity

Um astronauta à deriva no espaço é o protagonista de LOST ORBIT: Terminal Velocity. Com equipamentos limitados, o personagem precisa deslizar e esquivar de perigos a fim de voltar para casa. Com conceitos simples e alguma variedade, o título indie oferece uma boa experiência arcade. Continue Lendo “Análise: LOST ORBIT: Terminal Velocity”

Análise: Lethal League Blaze

Uma competição perigosa em que os combatentes tentam acertar uma bola antigravidade nos oponentes foi proibida na cidade futurista de Shine City, mas as partidas continuam acontecendo de forma clandestina. Essa é a premissa de Lethal League Blaze, título cujo conceito mescla luta e algo parecido com baseball de forma muito divertida. O jogo, que tem como foco multiplayer, conquista a atenção com partidas rápidas, várias camadas de complexidade e uma atmosfera urbana envolvente. Blaze é uma continuação de Lethal League e apresenta ajustes na jogabilidade e mais conteúdo. Continue Lendo “Análise: Lethal League Blaze”