Análise: MUSYNX (Multi)

MUSYNX é um título de ritmo que fez sucesso em outras plataformas, principalmente nos dispositivos móveis. Com jogabilidade simples, seus grandes destaques são a grande variedade de músicas disponíveis para jogar e o visual belo. O jogo chega agora ao PC em uma adaptação competente, tornando-se um dos melhores títulos rítmicos tradicionais da plataforma. Continue Lendo “Análise: MUSYNX (Multi)”

Anúncios

Análise: Monster Boy and the Cursed Kingdom (Multi)

Uma das séries clássicas da Sega comumente lembrada pelos jogadores é Wonder Boy. Nela, um cavaleiro sai em uma jornada para salvar uma princesa ou até mesmo o mundo. Os títulos da franquia são majoritariamente de plataforma, porém há também a presença de outras características, como shoot’em up e até mesmo metroidvaniaMonster Boy and the Cursed Kingdom é uma continuação espiritual de Wonder Boy e tem como protagonista um herói capaz de se transformar em várias criaturas em uma aventura de plataforma. Tecnicamente impecável e muito variado, o jogo oferece uma experiência excepcional e divertida.
Continue Lendo “Análise: Monster Boy and the Cursed Kingdom (Multi)”

Nos ouvidos #19: Grimes — We Appreciate Power

Grimes lançou “We Appreciate Power”, uma nova música três anos após seu último disco, Art Angels. Desde que ouvi a faixa pela primeira vez não consegui parar de ouvir. Continue Lendo “Nos ouvidos #19: Grimes — We Appreciate Power”

Análise: Persona 3: Dancing in Moonlight & Persona 5: Dancing in Starlight (PS4/PS Vita)

Uma das características mais marcantes da franquia de JRPGs Persona é a sua trilha sonora contagiante e muito bem produzida, sendo que cada título da série tem identidade musical própria. Pensando nesse detalhe e aproveitando a popularidade de Persona, a Atlus decidiu lançar spin-offs de ritmo baseado nos jogos da franquia. Persona 3: Dancing in Moonlight e Persona 5: Dancing in Starlight colocam os personagens de Persona 3 e Persona 5 para dançar ao som da música dos jogos. É fácil notar que os fãs de Persona são o público alvo desses títulos, porém uma jogabilidade divertida, trilha sonora notável e atmosfera estilosa os tornam acessíveis para todo tipo de público.
Continue Lendo “Análise: Persona 3: Dancing in Moonlight & Persona 5: Dancing in Starlight (PS4/PS Vita)”

Análise: Super Hydorah (Multi)

Super Hydorah é um shoot’em up de progressão lateral claramente inspirado em clássicos do passado, como Gradius. Mesmo usando títulos de outrora como base, o jogo apresenta várias ideias únicas e bem executadas, sendo seu grande destaque a diversidade de situações. E como é de praxe, a jornada é bem difícil, porém muito recompensadora. Continue Lendo “Análise: Super Hydorah (Multi)”

Análise: The Bug Butcher (Multi)

Insetos estão invadindo um laboratório e explodi-los é a única solução em The Bug Butcher. Para isso, o personagem vai atirar em tudo que se mexe em uma jogabilidade com uma limitação curiosa: só é possível mirar para cima. O título usa o clássico Super Pang como inspiração e moderniza os conceitos em uma aventura vibrante, frenética e divertida. Continue Lendo “Análise: The Bug Butcher (Multi)”

Análise: Full Metal Furies (Multi)

 

A Terra foi devastada por uma grande guerra entre Titãs e um grupo de garotas decide acabar com o conflito derrotando os seres mitológicos. Full Metal Furies usa a mitologia grega em um jogo de pancadaria beat’em up que se destaca por exigir a colaboração contínua entre os jogadores: cada uma das heroínas tem funções e habilidades bem distintas que se complementam. Com leves aspectos de RPG e dificuldade acentuada, Full Metal Furies retoma e moderniza o gênero. Continue Lendo “Análise: Full Metal Furies (Multi)”

Análise: Starlink: Battle for Atlas (Multi)

A premissa de Starlink: Battle for Atlas é bem ambiciosa. No novo jogo de ação e aventura da Ubisoft, controlamos uma equipe de pilotos em uma aventura por um universo vibrante com mecânicas de mundo aberto e customização. Um dos destaques do título é a inclusão do conceito toys to life, ou seja, miniaturas físicas que afetam o jogo — naves, pilotos e armas, nesse caso. O resultado é uma experiência divertida, por mais que alguns problemas impedem que ela seja memorável. Continue Lendo “Análise: Starlink: Battle for Atlas (Multi)”

Do Japão: Live a Live (SNES)

Por toda a história da humanidade, alguns padrões se repetem. A luta do bem contra o mal é recorrente, mesmo contando com representações diferentes. É essa a premissa de Live A Live, RPG de SNES da Squaresoft que nunca foi lançado fora do Japão. O game conta com sete histórias independentes, cada qual com características de narrativa e jogabilidade únicas, compartilhando entre si o sistema de batalha.  Continue Lendo “Do Japão: Live a Live (SNES)”

Nos ouvidos #18: Mitski — Nobody

Mitski me conquistou com sua voz marcante: seu timbre é suave e firme ao mesmo tempo. O som da cantora é uma espécie de pop-rock com um toque de indie, sensação essa alcançada com o uso de guitarras e pianos nas músicas.

Continue Lendo “Nos ouvidos #18: Mitski — Nobody”