Análise: Bladed Fury (PC)

Depois de um golpe de estado, uma princesa sai em uma jornada em busca de vingança. Essa é a premissa central de Bladed Fury, título de ação e plataforma que usa a mitologia chinesa como tema. Com duas armas poderosas e a ajuda de certas entidades místicas, a garota vai acabar com todos que aparecem pelo caminho em uma experiência hack and slash frenética com visual elaborado. Desenvolvido por uma produtora chinesa, o jogo é explicitamente inspirado em Muramasa: The Demon Blade. Continue Lendo “Análise: Bladed Fury (PC)”

Anúncios

Análise: GRIS (PC/Switch)

GRIS é uma experiência nada usual. Por meio de características de plataforma e elementos visuais, o jogo nos convida a observar e contemplar cenários impressionantes e belos. Por trás de uma atmosfera de deslumbre e serenidade, há uma garota tentando superar a tristeza e a dor. Um mundo sem perigos e com puzzles simples resulta em uma aventura focada nas sensações. Continue Lendo “Análise: GRIS (PC/Switch)”

Análise: Desert Child (Multi)

Em Desert Child a Terra se tornou inabitável e a aqueles que conseguem pagar a passagem se mudaram para Marte. Lá, a febre são as corridas de hoverbike: competições frenéticas em que os participantes usam de todas artimanhas possíveis para poder vencer. Combinando aspectos de corrida e aventura, o título traz uma experiência inusitada em um mundo estiloso influenciado por obras como Cowboy Bebop e Redline. Continue Lendo “Análise: Desert Child (Multi)”

Análise: MUSYNX (Multi)

MUSYNX é um título de ritmo que fez sucesso em outras plataformas, principalmente nos dispositivos móveis. Com jogabilidade simples, seus grandes destaques são a grande variedade de músicas disponíveis para jogar e o visual belo. O jogo chega agora ao PC em uma adaptação competente, tornando-se um dos melhores títulos rítmicos tradicionais da plataforma. Continue Lendo “Análise: MUSYNX (Multi)”

Análise: Monster Boy and the Cursed Kingdom (Multi)

Uma das séries clássicas da Sega comumente lembrada pelos jogadores é Wonder Boy. Nela, um cavaleiro sai em uma jornada para salvar uma princesa ou até mesmo o mundo. Os títulos da franquia são majoritariamente de plataforma, porém há também a presença de outras características, como shoot’em up e até mesmo metroidvaniaMonster Boy and the Cursed Kingdom é uma continuação espiritual de Wonder Boy e tem como protagonista um herói capaz de se transformar em várias criaturas em uma aventura de plataforma. Tecnicamente impecável e muito variado, o jogo oferece uma experiência excepcional e divertida.
Continue Lendo “Análise: Monster Boy and the Cursed Kingdom (Multi)”

Análise: Persona 3: Dancing in Moonlight & Persona 5: Dancing in Starlight (PS4/PS Vita)

Uma das características mais marcantes da franquia de JRPGs Persona é a sua trilha sonora contagiante e muito bem produzida, sendo que cada título da série tem identidade musical própria. Pensando nesse detalhe e aproveitando a popularidade de Persona, a Atlus decidiu lançar spin-offs de ritmo baseado nos jogos da franquia. Persona 3: Dancing in Moonlight e Persona 5: Dancing in Starlight colocam os personagens de Persona 3 e Persona 5 para dançar ao som da música dos jogos. É fácil notar que os fãs de Persona são o público alvo desses títulos, porém uma jogabilidade divertida, trilha sonora notável e atmosfera estilosa os tornam acessíveis para todo tipo de público.
Continue Lendo “Análise: Persona 3: Dancing in Moonlight & Persona 5: Dancing in Starlight (PS4/PS Vita)”

Análise: Super Hydorah (Multi)

Super Hydorah é um shoot’em up de progressão lateral claramente inspirado em clássicos do passado, como Gradius. Mesmo usando títulos de outrora como base, o jogo apresenta várias ideias únicas e bem executadas, sendo seu grande destaque a diversidade de situações. E como é de praxe, a jornada é bem difícil, porém muito recompensadora. Continue Lendo “Análise: Super Hydorah (Multi)”

Análise: The Bug Butcher (Multi)

Insetos estão invadindo um laboratório e explodi-los é a única solução em The Bug Butcher. Para isso, o personagem vai atirar em tudo que se mexe em uma jogabilidade com uma limitação curiosa: só é possível mirar para cima. O título usa o clássico Super Pang como inspiração e moderniza os conceitos em uma aventura vibrante, frenética e divertida. Continue Lendo “Análise: The Bug Butcher (Multi)”

Análise: Full Metal Furies (Multi)

 

A Terra foi devastada por uma grande guerra entre Titãs e um grupo de garotas decide acabar com o conflito derrotando os seres mitológicos. Full Metal Furies usa a mitologia grega em um jogo de pancadaria beat’em up que se destaca por exigir a colaboração contínua entre os jogadores: cada uma das heroínas tem funções e habilidades bem distintas que se complementam. Com leves aspectos de RPG e dificuldade acentuada, Full Metal Furies retoma e moderniza o gênero. Continue Lendo “Análise: Full Metal Furies (Multi)”

Análise: Starlink: Battle for Atlas (Multi)

A premissa de Starlink: Battle for Atlas é bem ambiciosa. No novo jogo de ação e aventura da Ubisoft, controlamos uma equipe de pilotos em uma aventura por um universo vibrante com mecânicas de mundo aberto e customização. Um dos destaques do título é a inclusão do conceito toys to life, ou seja, miniaturas físicas que afetam o jogo — naves, pilotos e armas, nesse caso. O resultado é uma experiência divertida, por mais que alguns problemas impedem que ela seja memorável. Continue Lendo “Análise: Starlink: Battle for Atlas (Multi)”