Análise: Wand Wars

Feiticeiros e outras criaturas mágicas (ou não) se enfrentam em Wand Wars, título independente com foco em partidas multiplayer. O objetivo é rebater uma esfera mágica e tentar acabar com os oponentes em batalhas acirradas e repletas de reviravoltas. Com regras fáceis de entender, muitos modos de jogo e uma atmosfera carismática, o título oferece uma experiência divertida e ótima para curtir com amigos. Continue Lendo “Análise: Wand Wars”

Anúncios

Análise: Blasphemous

Um reino grotesco dominado por uma religião distorcida é o cenário de Blasphemous, título de ação e plataforma com aspectos de metroidvania produzido pelo estúdio espanhol The Game Kitchen. Na pele de um guerreiro que busca redenção, exploramos um grande mundo repleto de criaturas grotescas, batalhas complicadas e muitos desafios. Uma ambientação exótica, sistemas de qualidade e dificuldade acentuada fazem com que Blasphemous se destaque em uma experiência intensa e arrebatadora. Continue Lendo “Análise: Blasphemous”

Análise: Creature in the Well

O conceito principal de Creature in the Well é no mínimo criativo. Em um primeiro momento ele parece uma simples aventura de exploração de calabouço com visão aérea, no entanto o local está repleto de desafios fortemente inspirados em máquinas de pinball. O resultado é um jogo bem diferente e interessante, mas que perde o fôlego com o passar do tempo. Continue Lendo “Análise: Creature in the Well”

Análise: Knights and Bikes

A infância é um momento marcado por diversão, onde um simples passeio pode se tornar uma aventura épica com o poder da imaginação e da criatividade. Knights and Bikesexplora esse conceito na forma de um charmoso jogo de ação e puzzle em que duas garotas desbravam uma ilha em busca de um tesouro. O título cativa com ambientação caprichada e ótimo visual, por mais que algumas mecânicas simples demais ofuscam um pouco seu brilho. Continue Lendo “Análise: Knights and Bikes”

Impressões: UnderMine

Roguelikes e suas variações andam bem populares no mundo dos jogos indies nos últimos anos, principalmente por causa de suas partidas variadas que mudam a cada tentativa. UnderMine, título produzido pela dupla de desenvolvedores do estúdio Thorium, é um novo representante do gênero que nos convida a explorar uma mina recheada de perigos e tesouros. Inspirado em jogos como Binding of Isaac e Rogue Legacy, UnderMine já prova ser bem divertido, mesmo que ainda esteja em Acesso Antecipado. Continue Lendo “Impressões: UnderMine”

Análise: Minoria

Bruxas estão à solta no reino de Ramezia e somente freiras guerreiras são capazes de enfrentá-las. É nesse cenário que se desenrola a trama de Minoria, título independente de ação e plataforma. Produzido pelo brasileiro rdein, o jogo é um sucessor espiritual da série Momodora e compartilha várias de suas mecânicas e temas. Batalhas complicadas, um mundo de mapa elaborado e uma atmosfera sombria permeiam a experiência do título. Continue Lendo “Análise: Minoria”

Análise: Moonlighter — Between Dimensions

Em Moonlighter acompanhamos Will, um rapaz que cuida de uma loja de dia e explora calabouços em busca de mercadorias durante a noite. Between Dimensions é a primeira expansão paga do jogo e tem como novidades a inclusão de um novo calabouço, itens inéditos, trechos de história e mais. O pacote não traz conteúdo muito diferente do jogo base, mas não deixa de ser um ótimo incentivo para revisitar a vida dupla de Will. Continue Lendo “Análise: Moonlighter — Between Dimensions”

Análise: A Short Hike

A Short Hike nos convida a escalar uma montanha no nosso ritmo ao mesmo tempo em que aproveitamos a paisagem. Produzido por um único desenvolvedor, esse jogo de aventura e plataforma 3D se destaca com uma atmosfera relaxante, personagens divertidos e um mundo vibrante repleto de atividades e segredos. O resultado é uma experiência cativante e repleta de boas vibrações. Continue Lendo “Análise: A Short Hike”

Análise: LOST ORBIT: Terminal Velocity

Um astronauta à deriva no espaço é o protagonista de LOST ORBIT: Terminal Velocity. Com equipamentos limitados, o personagem precisa deslizar e esquivar de perigos a fim de voltar para casa. Com conceitos simples e alguma variedade, o título indie oferece uma boa experiência arcade. Continue Lendo “Análise: LOST ORBIT: Terminal Velocity”

Análise: Night Call

Ser taxista em uma grande metrópole significa lidar diariamente com muitas pessoas de personalidades distintas, cada qual com histórias, problemas, dilemas e alegrias. E o táxi, como uma sala em outra dimensão, é perfeito para confidências, revelações e sinceridade. Mas o que acontece quando um serial killer aparece e bagunça a vida de um motorista? Night Call tenta responder essa pergunta. Nesse jogo independente que combina aventura e investigação, acompanhamos um taxista que se vê forçado em atuar como um detetive enquanto trabalha. Inúmeras histórias variadas e muito bem construídas, e uma atmosfera ímpar inspirada em filmes noir, me fizeram mergulhar no universo do título. Continue Lendo “Análise: Night Call”