Análise: Hollow Knight (PC/Switch)

Um mundo sombrio e repleto de insetos bizarros é o cenário de Hollow Knight, metroidvania lançado PC Nintendo Switch. A ambientação que lembra um desenho animado macabro chama a atenção, mas esse é um dos poucos destaques do jogo. A fórmula básica do gênero está ali, no entanto bastam alguns minutos para perceber que o jogo traz conceitos interessantes e não muito explorados no estilo, como grande liberdade de exploração e combate intenso. A combinação das características resulta em uma aventura imersiva e e também tensa, o que fez com que Hollow Knight entrasse para a minha lista de jogos favoritos de todos os tempos. Continue Lendo “Análise: Hollow Knight (PC/Switch)”

Anúncios

Análise: OVERWHELM (PC)

Você está sozinho em um lugar apertado e escuro, com sons estranhos vindo de todos os cantos. Quando você se atenta, criaturas bizarras estão te cercando e a munição do seu rifle está praticamente no fim — sobreviver parece improvável. Parece um filme de terror, mas é OVERWHELM, título de ação e plataforma independente. Dificuldade intensa e recursos audiovisuais fazem com que o jogo tenha uma ambientação tensa e pesada, resultando em uma experiência simultaneamente frustrante e intensa. Continue Lendo “Análise: OVERWHELM (PC)”

Análise: Lumines Remastered (Multi)

Criada por Tetsuya Mizuguchi, produtor da franquia de ritmo Space Channel 5, a série Lumines é conhecida por combinar puzzles de juntar blocos com música. Depois de versões para inúmeros consoles, a franquia retorna com Lumines Remastered. O nome infere que esta é uma remasterização do primeiro título de PSP, mas na verdade não é bem isso: o jogo oferece uma experiência nova, com conteúdo dos dois primeiros títulos e algumas novidades. Continue Lendo “Análise: Lumines Remastered (Multi)”

Análise: Darkest Dungeon: The Color of Madness (PC)

Estresse e tensão são palavras que descrevem a experiência de Darkest Dungeon, RPG e dungeon crawler que apresenta mecânicas focadas no estado mental dos heróis. O jogo é bem difícil, com várias situações complicadas capazes de tirar a paciência e a calma de alguns jogadores — e é justamente isso o que o torna tão divertido. The Color of Madness, a segunda expansão do título, oferece uma experiência diferenciada por se concentrar nos combates por turnos. A alteração na dinâmica traz possibilidades interessantes, sem deixar de lado os conceitos principais de Darkest Dungeon. Continue Lendo “Análise: Darkest Dungeon: The Color of Madness (PC)”

Análise: FAR: Lone Sails (PC)

Qual deve ser a sensação de estar sozinho em um cenário pós-apocalíptico? FAR: Lone Sails brinca com essa premissa em uma aventura simples, porém de grande carga emocional. É uma história sobre solidão e desolação, explorando a beleza e tristeza desse tipo de situação por meio de visual impecável e mecânicas charmosas. Continue Lendo “Análise: FAR: Lone Sails (PC)”

Análise: Just Shapes & Beats (PC/Switch)

Just Shapes & Beats chama a atenção com seu visual vibrante e estiloso. Tendo como inspiração música eletrônica, o jogo transforma a trilha sonora em em uma experiência que mistura elementos de bullet hell e ritmo. O resultado é um título de conceito simples, mas de alta dificuldade. Com opções de multiplayer e muitas composições, o Just Shapes & Beats é uma ótima pedida para um encontro entre amigos. Continue Lendo “Análise: Just Shapes & Beats (PC/Switch)”

Análise: Moonlighter (Multi)

Como será a jornada de alguém que é proprietário de uma loja e ainda precisa ele próprio procurar por mercadorias em calabouços? A resposta está em Moonlighter, título indie de ação e aventura. Nele, controlamos um jovem chamado Will, que tem como desafio balancear o trabalho em sua loja e a exploração de ruínas misteriosas. Com toques de administração e roguelike, o jogo conquista com uma aventura charmosa e viciante. Continue Lendo “Análise: Moonlighter (Multi)”

Análise: Battle Chasers: Nightwar (Multi)

Battle Chasers: Nightwar mostra suas intenções logo nas primeiras horas: resgatar as principais características de RPGs japoneses. O jogo não só faz isso, como também explora várias outras possibilidades, atualizando vários conceitos clássicos. Isso, combinado com uma ótima direção de arte, bom uso de mecânicas consagradas e um combate estratégico, resulta em uma experiência imersiva.  Continue Lendo “Análise: Battle Chasers: Nightwar (Multi)”

Análise: Wizard of Legend (Multi)

Para ser reconhecido como um mago lendário, um feiticeiro precisa vencer uma intensa competição. Essa é a premissa de Wizard of Legend, título independente de ação e dungeon crawling lançado para PCs e consoles. O foco das mecânicas é a velocidade: o herói é veloz e tem à disposição magias que podem ser utilizadas em sequências poderosas. O resultado é uma aventura frenética, variada e muito divertida.
Continue Lendo “Análise: Wizard of Legend (Multi)”

Análise: Juicy Realm (PC)

Em Juicy Realm, as regras da natureza mudaram: as plantas evoluíram e agora se alimentam de humanos. Para ter uma chance de sobreviver, a humanidade decide atacar o reino das plantas a fim de acabar com essa ameaça. Essa é a premissa bizarra deste jogo que mescla tiro e roguelike em uma aventura visualmente convidativa. Produzido por uma dupla de chineses, o título já está disponível no PC e também chegará aos consoles. Continue Lendo “Análise: Juicy Realm (PC)”