Nos ouvidos #12: Anja Garbarek — The Will to Walk

Anja Garbarek me conquistou há muitos anos com sua voz suave e suas composições inusitadas que passeavam pelo pop, eletrônico, trip hop e jazz. Os últimos trabalhos solo da cantora e compositora norueguesa foram lançados em 2005 (o álbum Briefly Shaking e a trilha sonora para o filme Angel-A), e depois uma participação em 2008 em um álbum do compositor Steve Janson. Agora em 2018, a cantora finalmente vai voltar à ativa com um novo trabalho e gostei muitíssimo da primeira música revelada. Continue Lendo “Nos ouvidos #12: Anja Garbarek — The Will to Walk”

Anúncios

Impressões: Treadnauts (PC)

Treadnauts é um jogo de arena competitiva com conceito inusitado: até quatro jogadores participam de batalhas controlando tanques, tentando explodir uns aos outros. Com uma pegada meio party game, o título de visual colorido oferece partidas rápidas, acessíveis e divertidas. O jogo está disponível no programa Acesso Antecipado do Steam e já apresenta base sólida, sendo assim chamei alguns amigos para testá-lo e gostamos bastante. Continue Lendo “Impressões: Treadnauts (PC)”

Análise: Aegis Defenders (Multi)

Sempre gostei de jogos do gênero tower defense, principalmente por causa da estratégia necessária para dar conta de inúmeras ondas de inimigos. Aegis Defenders me intrigou com sua proposta: combinar ação e plataforma 2D com tower defense. Além disso, o título apresenta quatro heróis distintos, sendo imprescindível alternar entre eles para sobreviver. O jogo consegue executar razoavelmente bem essa mescla de conceitos tão diferentes, por mais que existam tropeços pelo caminho.

Continue Lendo “Análise: Aegis Defenders (Multi)”

Análise: Dandara (Multi)

Quando o mundo de Sal cai na opressão, surge Dandara, uma guerreira para libertar o povo. Esse mundo fantástico é sem igual: a gravidade no Sal é livre, resultando em um lugar “sem direção”. Sendo assim, para avançar, Dandara salta por paredes e outras estruturas. Produzido pelo estúdio brasileiro Long Hat House, o jogo inova com sua interpretação diferenciada de metroidvania e mecânicas inusitadas. Continue Lendo “Análise: Dandara (Multi)”

Análise: Space Invaders Extreme (PC)

O clássico Space Invaders comemora 40 anos em 2018, e em comemoração a Taito decidiu lançar Space Invaders Extreme para PC. O jogo moderniza a aventura de 1978 com visual colorido, novas mecânicas e engenharia de som única, resultando em uma experiência que consegue ser contemporânea sem se afastar muito da essência original. O jogo foi lançado originalmente para DS, PSP e Xbox 360, e a versão para PCs atualiza alguns detalhes e traz o melhor das outras edições.

Continue Lendo “Análise: Space Invaders Extreme (PC)”

Análise: Iconoclasts (Multi)

Iconoclasts, em uma primeira olhada, parece ser um jogo vindo direto da era 32 bits com seus gráficos coloridos e pixel art detalhada. Esforço de um único desenvolvedor, que levou sete anos para terminar o trabalho, o título explora vários conceitos consagrados, como plataforma, mapas repletos de segredos e habilidades que permitem revisitar áreas anteriormente inalcançáveis. Pode parecer mais do mesmo, porém Iconoclasts tem algumas características que o destaca em relação a outros jogos do gênero. Continue Lendo “Análise: Iconoclasts (Multi)”

Análise: Floor Kids (Switch)

Breakdance é um estilo de dança de rua caracterizado por movimentos impressionantes e muita improvisação. Como transformar essa modalidade em um jogo que consiga retratar essas características? Floor Kids realiza esse feito com mecânicas diferenciadas que nos permitem montar danças personalizadas, assim como em uma sessão de breakdance. Os comandos versáteis, aliados aos ótimos visuais e música, resultam em uma experiência distinta e contagiante. Continue Lendo “Análise: Floor Kids (Switch)”

Análise: Celeste (Multi)

Para confrontar problemas internos, Madeline decide escalar uma montanha, mesmo não sendo uma exímia escaladora. Para desbravar a montanha Celeste, a garota vai ter que enfrentar inúmeros desafios de plataforma em uma jornada de dificuldade acentuada. Pelo caminho, Madeline é forçada a descobrir mais sobre si mesma para sobreviver, ao mesmo tempo em que investiga os mistérios do lugar. Continue Lendo “Análise: Celeste (Multi)”

Nos ouvidos #11: Yaeji — raingurl / Last Breath / Feel It Out

A primeira vez que ouvi a música de Yaeji eu só pensei “que coisa estranha”. Bem, quando isso acontece, bastam alguns dias para eu ouvir novamente e mudar completamente de opinião — aconteceu exatamente isso com essa cantora. E era de se esperar: as músicas de Yaeji passam pela eletrônica, dance e house (estilos esses que aprecio bastante), tendo como diferencial o vocal único da cantora. Continue Lendo “Nos ouvidos #11: Yaeji — raingurl / Last Breath / Feel It Out”

Resenha: A Floresta Sombria, de Cixin Liu

“— Você acredita mesmo que os trissolarianos vão preservar a herança cultural da humanidade? Eles não têm a menor consideração por nós.
— Acha isso porque eles disseram que nós somos insetos? Mas não é esse o significado. Yan Yan, sabe qual é o maior gesto de consideração que uma raça ou civilização pode receber?
— Não, qual?
— Aniquilação. Esse é o maior sinal de respeito possível para uma civilização. Eles só se sentiriam ameaçados por uma civilização que realmente respeitam.”

Lembro-me perfeitamente bem de ter ficado intrigado com O Problema dos Três Corpos, mesmo com o incômodo dos vários problemas do livro. De qualquer maneira, foi uma história que ficou na minha cabeça por meses. Já a continuação, A Floresta Sombria, me prendeu desde sua premissa, o que me fez ler freneticamente o volume. O segundo livro da trilogia me surpreendeu bastante em quase todos os aspectos. Continue Lendo “Resenha: A Floresta Sombria, de Cixin Liu”