Análise: SteamWorld Quest: Hand of Gilgamech

A série SteamWorld é estrelada por robôs em um universo steampunk em que os humanos foram praticamente extintos, com jogos que apresentam uma interpretação bem humorada de histórias de ficção científica. SteamWorld Quest: Hand of Gilgamechmuda o foco para a fantasia em um RPG com robôs armados com espadas, magos capazes de lançar feitiços, monstros e mais, sem deixar de lado características da franquia, como a presença de tecnologia movida a vapor. Com combate baseado em cartas, o jogo oferece uma experiência mais complexa do que aparenta. Continue Lendo “Análise: SteamWorld Quest: Hand of Gilgamech”

Anúncios

Análise: Katana ZERO

Um samurai que é capaz de manipular o tempo é o protagonista de Katana ZERO. O objetivo do protagonista é matar todos que aparecem pelo caminho em uma aventura de ação intensa, violenta e difícil, que exige destreza e experimentação dos jogadores. Com visual estiloso, ambientação ímpar e narrativa interessante, somos convidados a mergulhar em um mundo futurista impiedoso em busca de respostas. Com ótimas mecânicas e execução impecável, o título oferece uma experiência memorável. Continue Lendo “Análise: Katana ZERO”

Análise: Bomb Chicken

Bomb Chicken é um jogo de plataforma estrelado por uma heroína altamente improvável: uma galinha que bota bombas em vez de ovos. Com essa habilidade exótica, a ave precisa fugir de uma fábrica repleta de situações complicadas em uma aventura com muitos elementos de ação e puzzle. Continue Lendo “Análise: Bomb Chicken”

Análise: Pathway

Jogar Pathway me fez sentir que eu estava dentro de um daqueles filmes de aventura da década de 1990. Na companhia de diferentes personagens, exploramos uma imensa região desértica no norte da África repleta de ruínas, tumbas, vilas e outros mistérios em um jogo que mescla vários conceitos, como RPG e administração. Esses detalhes, em combinação com uma ambientação charmosa e muito conteúdo, me incentivaram a explorar o mundo de Pathway várias vezes. Continue Lendo “Análise: Pathway”

Resenha: O assassinato do comendador (Vol. 1), de Haruki Murakami

“Para falar a verdade, até aquele momento eu acreditava que as obras nihon-ga sempre retratavam o mundo de maneira estilizada e serena. Tinha a visão limitada de que a técnica e os motes desse estilo não se prestavam a expressar emoções intensas, fazendo parte de um mundo totalmente distinto do meu. Entretanto, ao ver O assassinato do comendador, me dei conta de que isso não passava de um preconceito infundado. Naquele duelo mortal retratado por Tomohiko Amada existia algo capaz de abalar profundamente o observador. Um homem vitorioso, outro vencido. Um homem que fere, outro que é ferido. O contraste era algo que chamava a atenção. Aquela pintura tinha algo de especial.” (Pág. 75)

Eu estava bastante ansioso para conferir O assassinato do comendador, o primeiro romance inédito de Haruki Murakami em anos. A premissa inusitada, o estilo característico do autor (que é um dos meus favoritos) e alguns comentários positivos me deixaram muito curioso. No Brasil, a obra, que é um pouco longa, foi dividida em duas partes. Conferi o Volume 1 e é praticamente o que eu imaginava, por mais que eu esperava um pouco mais. Continue Lendo “Resenha: O assassinato do comendador (Vol. 1), de Haruki Murakami”

Análise: Sekiro: Shadows Die Twice

Sekiro: Shadows Die Twice é brutal: basta um pequeno deslize para morrer. A origem da derrota é não entender detalhes dos movimentos dos inimigos ou então não ter técnica suficiente durante o combate. É um pouco frustrante, mas com insistência os desafios são superados e uma sensação de triunfo e êxtase aparecem — até surgir o próximo ponto complicado. O novo título da produtora nipônica From Software (de Dark Souls e Bloodborne) usa o passado como inspiração em conjunto com ideias criativas, o que resulta em uma jornada simultaneamente impiedosa e deslumbrante. Continue Lendo “Análise: Sekiro: Shadows Die Twice”

Impressões: Risk of Rain 2

Risk of Rain é um jogo de ação e plataforma com elementos de roguelike, ou seja, ele apresenta características como partidas com elementos aleatórios e morte permanente. Fora a atmosfera ímpar e o visual minimalista, o seu aspecto mais marcante é a dificuldade: com o passar do tempo, a jornada fica progressivamente mais difícil, a um ponto que chefes apareciam como inimigos normais. A sequência Risk of Rain 2 resgata todos esses detalhes, no entanto agora exploramos ambientes 3D, o que oferece uma experiência nova sem deixar de ser familiar. O jogo está disponível via Acesso Antecipado e já conta com base sólida. Continue Lendo “Impressões: Risk of Rain 2”

Análise: One Finger Death Punch 2

Um conceito clássico em filmes de kung-fu mostra o herói enfrentando inúmeros oponentes simultaneamente em lutas repletas de coreografias absurdas e exageradas. One Finger Death Punch 2 usa esses momentos como inspiração para criar um curioso jogo que usa somente dois botões para oferecer uma experiência que mistura luta e ritmo, sem deixar de lado a ação frenética e divertida. O segundo título da série mantém as características marcantes ao mesmo tempo que adiciona novidades variadas. Continue Lendo “Análise: One Finger Death Punch 2”

Análise: Touhou Luna Nights

Touhou Luna Nights encanta logo de cara com seu belíssimo visual em pixel art, contudo basta jogar um pouco para perceber outras várias qualidades. Inspirado em uma série de shoot ’em ups com elementos de bullet hell, o título de ação e plataforma 2D conta com mecânicas interessantes muito bem exploradas em uma aventura criativa. Com ação ágil e toques de metroidvania, é um jogo que remete à era 16-bits ao mesmo tempo em que explora conceitos modernos, resultando em uma experiência revigorante. O título foi disponibilizado inicialmente no programa Acesso Antecipado do Steam, e muitas sugestões dos jogadores foram incorporadas à versão final. Continue Lendo “Análise: Touhou Luna Nights”

Análise: Golf Peaks

As regras do golfe são simples: por meio de tacadas, o objetivo é acertar a bola em um buraco distante com o mínimo de movimentos possíveis. Golf Peaks pega o conceito principal do esporte e transforma em um puzzle criativo e interessante. A atmosfera é tranquila, no entanto há muitos desafios complicados pelo caminho. Continue Lendo “Análise: Golf Peaks”