Análise: NieR Replicant ver.1.22474487139…

Em 2010, a Square Enix lançou um RPG de ação chamado NIER, que rapidamente ganhou o status de “excelência desconhecida” por alguns aspectos ousados, a despeito de vários defeitos. Agora, com o sucesso de NieR:Automata, o exótico diretor Yoko Taro decidiu resgatar o jogo na forma de NieR Replicant ver.1.22474487139… O novo título remasteriza a parte técnica do original ao mesmo tempo em que melhora mecânicas e introduz conteúdo novo. O resultado é algo simultaneamente novo e familiar, mas que ainda se apoia em muitos problemas do passado. Continue Lendo “Análise: NieR Replicant ver.1.22474487139…”

Análise: Smelter

Smelter tem uma premissa no mínimo curiosa: Eva se funde a uma criatura para obter poderes especiais a fim de encontrar Adão, que desapareceu depois de um estranho evento. Essa trama maluca é explorada em uma aventura que se divide em estágios de plataforma tradicionais e em trechos de estratégia em tempo real, que se relacionam constantemente. Claramente inspirado em Mega Man X e Actraiser, este indie se destaca com a grande diversidade de conteúdo e criatividade, por mais que falte equilíbrio entre alguns de seus elementos. Continue Lendo “Análise: Smelter”

Análise: Disco Elysium – The Final Cut

Disco Elysium parece mais uma história de detetive, porém logo se revela nada convencional ao abordar temas de maneira ímpar. O trabalho de estreia da produtora independente ZA/UM transforma conceitos de RPG de mesa em uma aventura excepcional com muita liberdade e texto bem escrito. Além disso, Disco Elysium conta também com uma narrativa densa e envolvente, que aborda um protagonista repleto de falhas morais e temas políticos e sociais relevantes, sempre com uma pitada de excêntrico. A versão The Final Cut marca a estreia do jogo nos consoles e inclui várias novidades que o deixam ainda mais magnético, como dublagem completa de todos os personagens e missões inéditas. Continue Lendo “Análise: Disco Elysium – The Final Cut”

Análise: Narita Boy

Um mundo digital está em perigo e a única esperança é o herói conhecido como Narita Boy. Com a ajuda de uma espada especial, o guerreiro enfrentará seres criados por um código-fonte corrompido em uma aventura por um reino surreal. O jogo usa elementos dos anos 1980 para oferecer uma experiência moderna com ares retrô, sendo o seu maior destaque a ambientação elaborada. O título se perde um pouco com a falta de foco e alguns elementos desinteressantes, mas, no geral, é bem envolvente. Continue Lendo “Análise: Narita Boy”

Análise: Foregone

Foregone parece ter vindo direto do passado, a despeito de apresentar elementos modernos. Na pele de uma guerreira, exploramos um mundo em conflito em uma jornada de ação 2D bastante direta. O foco é saltar por cenários e golpear inimigos, mas há outros sistemas para trazer complexidade, como equipamentos com diferentes propriedades e árvores de habilidades. Infelizmente, vários problemas e limitações fazem com que o título seja uma experiência nada memorável. Continue Lendo “Análise: Foregone”

Análise: Curse of the Dead Gods

Em Curse of the Dead Gods, um aventureiro está preso em um estranho templo e para escapar ele precisará superar inúmeros desafios mortais. O jogo é um dungeon crawler focado em combate com várias mecânicas interessantes, como a inclusão gradual de maldições que deixam as jornadas mais desafiadoras. Elementos de roguelite trazem diversidade às partidas, assim como grande quantidade de equipamentos. Fora algumas pequenas limitações, o jogo é uma experiência sólida, brutal e viciante. Continue Lendo “Análise: Curse of the Dead Gods”

Análise: Ys IX: Monstrum Nox

Em Ys IX: Monstrum Nox, novo título da longa série de RPGs de ação, o aventureiro Adol Christin obtém poderes especiais após ser amaldiçoado, mas agora está preso em uma cidade. Com habilidades sobrenaturais, os heróis conseguem explorar os cenários com versatilidade, introduzindo uma verticalidade nunca vista antes na franquia. O jogo resgata e expande conceitos do episódio anterior em uma aventura com combates intensos e muito para ver, por mais que a ambientação não seja muito interessante. Continue Lendo “Análise: Ys IX: Monstrum Nox”

Análise: Olija

Um náufrago preso em um estranho mundo é a premissa principal de Olija, jogo de ação e plataforma produzido pelo estúdio indie Skeleton Crew Studio. Claramente inspirado em clássicos como Out of This World (também conhecido como Another World), o título combina exploração, puzzles e narrativa cinematográfica para criar um universo instigante. Há boas ideias no decorrer da jornada, porém o subdesenvolvimento de vários aspectos impedem que o real potencial do jogo seja explorado. Continue Lendo “Análise: Olija”

Análise: Cyber Shadow

Em Cyber Shadow, um tirano devastou o mundo e a única esperança é um ninja transformado em ciborgue. O jogo oferece uma aventura de ação e plataforma focada em velocidade e precisão que resgata e atualiza mecânicas clássicas da era 8 bits. Controles fluidos, grande variedade de desafios pelos estágios e um mundo construído com esmero resultam em uma experiência empolgante e muito divertida.

Continue Lendo “Análise: Cyber Shadow”

Análise: Scott Pilgrim vs. The World: The Game – Complete Edition

Scott Pilgrim, personagem que surgiu nos quadrinhos de Bryan Lee O’Malley, alcançou visibilidade com a adaptação cinematográfica exagerada e divertida. Para acompanhar o longa, a Ubisoft produziu um jogo que, infelizmente, foi retirado das lojas online depois de alguns anos. Isso foi mudado com o Scott Pilgrim vs. The World: The Game – Complete Edition, relançamento do beat ‘em up para as plataformas modernas. Continue Lendo “Análise: Scott Pilgrim vs. The World: The Game – Complete Edition”