Análise: Sea of Solitude

Uma garota transformada em monstro que se vê presa em uma cidade alagada repleta de estranhas criaturas é a premissa de Sea of Solitude. O jogo indie produzido pelo pequeno time da Jo-Mei Games usa as experiências da equipe em uma aventura que explora vários temas, como solidão, depressão e frustração. A jornada tem visuais cativantes e discute questões importantes, no entanto o andamento lento, a simplicidade das mecânicas e algumas escolhas infelizes na narrativa atrapalham a experiência. Continue Lendo “Análise: Sea of Solitude”

Anúncios

Análise: Lethal League Blaze

Uma competição perigosa em que os combatentes tentam acertar uma bola antigravidade nos oponentes foi proibida na cidade futurista de Shine City, mas as partidas continuam acontecendo de forma clandestina. Essa é a premissa de Lethal League Blaze, título cujo conceito mescla luta e algo parecido com baseball de forma muito divertida. O jogo, que tem como foco multiplayer, conquista a atenção com partidas rápidas, várias camadas de complexidade e uma atmosfera urbana envolvente. Blaze é uma continuação de Lethal League e apresenta ajustes na jogabilidade e mais conteúdo. Continue Lendo “Análise: Lethal League Blaze”

Análise: Blazing Chrome

Em Blazing Chrome, sistemas de inteligência artificial e máquinas dominaram o mundo, e os poucos humanos restantes são caçados constantemente. Na pele de um membro da resistência humana, o objetivo é acabar com os robôs em uma aventura de tiro e plataforma muito intensa e de dificuldade acentuada. Inspirado em clássicos como Contra e Metal Slug, o jogo do estúdio brasileiro JoyMasher (de Oniken e Odallus) acerta ao oferecer uma experiência empolgante e variada. Continue Lendo “Análise: Blazing Chrome”

Análise: 198X

O período de transição entre a infância e a vida adulta é bem conturbado com suas inúmeras mudanças e incertezas. 198X, título de estreia do estúdio sueco Hi-Bit Games, explora esse momento na forma de trechos de narrativa intercalados com jogos de arcades da década de 80. Desde que soube da existência do jogo eu fiquei intrigado com sua atmosfera estonteante e seu conceito ambicioso de explorar vários gêneros simultaneamente. No fim, 198X é uma experiência interessante mesmo com suas várias falhas. Continue Lendo “Análise: 198X”

God of War: meu diário fotográfico da aventura

Confesso que nunca tive muito interesse nos jogos da série God of War com sua ação desenfreada e (supostamente) sem estratégia. No entanto, assim que vi o reboot da franquia para PlayStation 4 eu mudei de ideia: o título parecia interessantíssimo ao combinar narrativa, aventura, ação e RPG. Mais de um ano depois tive finalmente a oportunidade de experimentar God of War e me surpreendi — a nova aventura de Kratos é impressionante e imperdível.

Continue Lendo “God of War: meu diário fotográfico da aventura”

Análise: Slay the Spire

Um pináculo vivo é o alvo de guerreiros em Slay the Spire, um RPG estratégico com jogabilidade focada em cartas. Pelo caminho, fortalecemos o herói ao construir cuidadosamente um baralho com ataques e habilidades, em uma aventura com vários aspectos de roguelike. Sucesso no programa Acesso Antecipado do Steam, a versão final do jogo foi lançada agora e se destaca com muitas opções de estratégia, grande variedade de conteúdo e dificuldade acentuada. Continue Lendo “Análise: Slay the Spire”

Análise: Skelly Selest

Explore o submundo e cace demônios em Skelly Selest, um título de tiro e hack ‘n’ slashfrenético. O jogo, que tem conceito principal extremamente simples e bem pensado, oferece partidas variadas e dificuldade acentuada. Muitos modos, partidas curtas, ambientação única e retrô por meio de visual em pixel art e música no estilo chiptune tornam a experiência viciante. Continue Lendo “Análise: Skelly Selest”

Análise: Crystal Crisis

Em Crystal Crisis, personagens da produtora indie Nicalis (de Cave Story e Binding of Isaac) e alguns convidados, como Astro Boy, se enfrentam em empolgante batalhas de puzzle. Inspirado no clássico de arcades Super Puzzle Fighter II Turbo, o título apresenta conceito principal simples na forma de quebra-cabeças competitivo, no entanto ele se revela muito mais complexo do que aparenta com a presença de várias nuances interessantes. O resultado é uma experiência ágil e intensa que consegue trazer características tanto de jogos de luta quanto de puzzle. Continue Lendo “Análise: Crystal Crisis”

Análise: Bomb Chicken

Bomb Chicken é um jogo de plataforma estrelado por uma heroína altamente improvável: uma galinha que bota bombas em vez de ovos. Com essa habilidade exótica, a ave precisa fugir de uma fábrica repleta de situações complicadas em uma aventura com muitos elementos de ação e puzzle. Continue Lendo “Análise: Bomb Chicken”

Análise: Sekiro: Shadows Die Twice

Sekiro: Shadows Die Twice é brutal: basta um pequeno deslize para morrer. A origem da derrota é não entender detalhes dos movimentos dos inimigos ou então não ter técnica suficiente durante o combate. É um pouco frustrante, mas com insistência os desafios são superados e uma sensação de triunfo e êxtase aparecem — até surgir o próximo ponto complicado. O novo título da produtora nipônica From Software (de Dark Souls e Bloodborne) usa o passado como inspiração em conjunto com ideias criativas, o que resulta em uma jornada simultaneamente impiedosa e deslumbrante. Continue Lendo “Análise: Sekiro: Shadows Die Twice”