Impressões: Risk of Rain 2

Risk of Rain é um jogo de ação e plataforma com elementos de roguelike, ou seja, ele apresenta características como partidas com elementos aleatórios e morte permanente. Fora a atmosfera ímpar e o visual minimalista, o seu aspecto mais marcante é a dificuldade: com o passar do tempo, a jornada fica progressivamente mais difícil, a um ponto que chefes apareciam como inimigos normais. A sequência Risk of Rain 2 resgata todos esses detalhes, no entanto agora exploramos ambientes 3D, o que oferece uma experiência nova sem deixar de ser familiar. O jogo está disponível via Acesso Antecipado e já conta com base sólida. Continue Lendo “Impressões: Risk of Rain 2”

Anúncios

Análise: Slay the Spire

Um pináculo vivo é o alvo de guerreiros em Slay the Spire, um RPG estratégico com jogabilidade focada em cartas. Pelo caminho, fortalecemos o herói ao construir cuidadosamente um baralho com ataques e habilidades, em uma aventura com vários aspectos de roguelike. Sucesso no programa Acesso Antecipado do Steam, a versão final do jogo foi lançada agora e se destaca com muitas opções de estratégia, grande variedade de conteúdo e dificuldade acentuada. Continue Lendo “Análise: Slay the Spire”

Impressões: Hades (PC)

A desenvolvedora Supergiant Games, responsável por títulos como Bastion e Transistor, é conhecida por produzir jogos elaborados no aspecto audiovisual e por experimentar ideias novas. Hades, seu mais novo projeto, é uma aventura de ação e dungeon crawler com aspectos de roguelike. Pode parecer simplesmente mais um dos vários títulos do gênero lançados nos últimos tempos, no entanto ele conta com várias características usuais da desenvolvedora. Hades está disponível na loja da Epic no formato Acesso Antecipado e já mostra excelência em boa parte dos seus aspectos. Continue Lendo “Impressões: Hades (PC)”

Análise: Wizard of Legend

Para ser reconhecido como um mago lendário, um feiticeiro precisa vencer uma intensa competição. Essa é a premissa de Wizard of Legend, título independente de ação e dungeon crawling lançado para PCs e consoles. O foco das mecânicas é a velocidade: o herói é veloz e tem à disposição magias que podem ser utilizadas em sequências poderosas. O resultado é uma aventura frenética, variada e muito divertida.
Continue Lendo “Análise: Wizard of Legend”

Análise: Juicy Realm (PC)

Em Juicy Realm, as regras da natureza mudaram: as plantas evoluíram e agora se alimentam de humanos. Para ter uma chance de sobreviver, a humanidade decide atacar o reino das plantas a fim de acabar com essa ameaça. Essa é a premissa bizarra deste jogo que mescla tiro e roguelike em uma aventura visualmente convidativa. Produzido por uma dupla de chineses, o título já está disponível no PC e também chegará aos consoles. Continue Lendo “Análise: Juicy Realm (PC)”

Análise: Hand of Fate 2 (PS4/PC)

 

Jogar Hand of Fate 2 me trouxe a sensação de estar participando de uma sessão de RPG de mesa: um mestre de jogo guia uma aventura repleta de escolhas baseadas em cartas. Combinando vários gêneros, como montagem de baralhos, ação e roguelike, a continuação do título de 2015 melhora boa parte dos aspectos do original, trazendo uma experiência mais variada e cativante. Continue Lendo “Análise: Hand of Fate 2 (PS4/PC)”

Análise: Fidel Dungeon Rescue (PC)

Uma aranha aparece de um alçapão e rapta uma gentil senhora, e seu simpático cãozinho é o único capaz de salvá-la. Essa é a premissa de Fidel Dungeon Rescue, um inusitado puzzle para PC. O visual cartunesco pode indicar uma aventura relaxante, mas a verdade é outra: este jogo, que tem também características de roguelike e RPG, é bem difícil e exige muita atenção. Com partidas rápidas e mecânicas-base simples, é uma experiência divertida e frustrante ao mesmo tempo. Continue Lendo “Análise: Fidel Dungeon Rescue (PC)”

Impressões: Dead Cells (PC)

Dead Cells (PC) se autodenomina um “roguevania”, ou seja, uma mistura de roguelike com metroidvania.  Depois de jogar um pouco, é fácil perceber que ele não é exatamente o que promete, porém tem seus méritos, o que o faz uma experiência divertida e viciante. O título acabou de ser disponibilizado no programa Early Access e apresenta um nível de polimento bem alto, por mais que há o que melhorar. Continue Lendo “Impressões: Dead Cells (PC)”

Análise: TumbleSeed (Multi)

O conceito principal de TumbleSeed, título indie para PC, PlayStation 4 e Nintendo Switch, é bem inusitado. O objetivo é levar sementes para o topo de uma montanha, desviando de inúmeros obstáculos que aparecem pelo caminho. O diferencial é o sistema de controle que exige o uso das duas alavancas analógicas para equilibrar a semente. Não se deixe enganar pelos gráficos coloridos: o jogo é bem difícil e exige dedicação. Continue Lendo “Análise: TumbleSeed (Multi)”

Análise: Flinthook (Multi)

Flinthook, o novo título da produtora independente Tribute Games para PC, PlayStation 4 e Xbox One, em uma primeira olhada, pode se passar por um jogo da era 16 bits por conta do seu visual em pixel art e da sensação de aventura 2D arcade. Contudo, o título se destaca por conta de duas principais habilidades: o herói se movimenta pelos cenários com a ajuda de um gancho e consegue deixar a ação em câmera lenta. Isso, aliado a alta dificuldade e características do gênero roguelike, faz com que Flinthook seja uma experiência intensa e bem divertida.

Continue Lendo “Análise: Flinthook (Multi)”