Análise: Monument Valley 2: Panoramic Edition

Em Monument Valley 2: Panoramic Edition, continuamos alterando os cenários para resolver puzzles visualmente instigantes. A sequência do título indie ousa pouco ao expandir levemente os conceitos do antecessor, mas, em contrapartida, apresenta enigmas e visuais ainda mais surreais e deslumbrantes. A versão Panoramic Edition conta com visuais e controles adaptados para PCs, além de incluir também um capítulo extra. Mesmo sem grandes revoluções, Monument Valley 2 oferece uma experiência sem igual. Continue Lendo “Análise: Monument Valley 2: Panoramic Edition”

Análise: Monument Valley: Panoramic Edition

Monument Valley: Panoramic Edition brinca com perspectivas e manipulação de cenários para criar enigmas criativos e instigantes. Além disso, o jogo nos cativa com sua atmosfera calma e também com seu belíssimo visual minimalista. Lançado inicialmente para dispositivos móveis, o título chega ao PC em uma versão que inclui todas as expansões e com visual adaptado para telas de proporção horizontal. Elegante e meditativo, Monument Valley continua sendo um puzzle excepcional. Continue Lendo “Análise: Monument Valley: Panoramic Edition”

Análise: Grindstone

Grindstone, em uma primeira olhada, parece mais um desses vários puzzles de combinar peças da mesma cor. Em sua essência ele é exatamente isso, mas elementos estratégicos e mecânicas variadas trazem variedade às partidas — seu conceito é simples de entender, porém conta com muitas nuances a serem dominadas. Um universo carismático e colorido, aliado a muito conteúdo e jogabilidade simples, resultam um jogo viciante. Continue Lendo “Análise: Grindstone”

Análise: Please, Touch The Artwork

Uma regra comum de galerias de arte é “não toque em nada”. Please, Touch The Artwork nos convida a fazer justamente o contrário na forma de puzzles interativos. Produzido por um único desenvolvedor, o jogo usa como inspiração trabalhos de arte abstrata de Piet Mondrian, Kazimir Malevich e Wassily Kandinsky para criar uma experiência interativa breve e envolvente, por mais que às vezes um pouco frustrante. Continue Lendo “Análise: Please, Touch The Artwork”

Análise: Picross S7

Desde o primeiro jogo no Game Boy, a série Picross recebeu inúmeras versões em diferentes sistemas da Nintendo. Picross S7 é o décimo título da franquia no Switch e oferece mais de 450 puzzles espalhados em diferentes modos. A grande novidade de S7 é finalmente a inclusão de controles via tela de toque no modo portátil, um recurso amplamente requisitado pelos jogadores por anos. Fora isso, a estrutura se mantém intacta e não há inclusões significativas em relação aos anteriores, o que não chega a ser um problema dada a solidez das mecânicas dos quebra-cabeças.

Continue Lendo “Análise: Picross S7”

Análise: Shovel Knight Pocket Dungeon

Em Shovel Knight Pocket Dungeon, o cavaleiro da pá e seus amigos precisam enfrentar inúmeros perigos em um mundo paralelo para conseguir voltar para casa. O jogo usa personagens e conceitos da série de plataforma como inspiração para criar um puzzle de ação singular e ágil. As mecânicas simples de entender, em conjunto com heróis com habilidades distintas, itens especiais e diferentes modos, tornam a experiência empolgante e difícil de largar. Continue Lendo “Análise: Shovel Knight Pocket Dungeon”

Análise: Moncage

Moncage instiga com seu conceito peculiar. No jogo, manipulamos um cubo cujas faces exibem diferentes cenários e, para resolver os quebra-cabeças, precisamos usar truques de perspectiva para alinhar elementos. A mecânica principal é simples, no entanto a grande criatividade e variedade dos puzzles é surpreendente. Além disso, o título conta com uma atmosfera acolhedora e uma trama mais complexa do que parece. A soma de tantas qualidades resulta em uma experiência única. Continue Lendo “Análise: Moncage”

Análise: Where Cards Fall

Em Where Cards Fall, precisamos utilizar diferentes baralhos de cartas para montar edifícios e resolver puzzles. O conceito principal deste jogo indie é bem único e oferece desafios de navegação interessantes, que se passam em belos cenários de atmosfera surreal. Fora os quebra-cabeças, o título explora também a história de amadurecimento de um rapaz, mas a narrativa banal tem pouco impacto e compromete o ritmo da aventura.

Continue Lendo “Análise: Where Cards Fall”

Análise: Tetris Effect: Connected

Tetris Effect: Connected eleva o tradicional puzzle russo a novos patamares ao mesmo tempo que respeita o seu legado. Produzido por Tetsuya Mizuguchi (de Lumines e Rez), essa versão mantém intactos os conceitos originais e se destaca com sua ambientação excepcional: os sons, a música, os cenários e as peças reagem aos movimentos dos jogadores em partidas belíssimas e imersivas.

Lançado originalmente para PlayStation 4 em 2018, a versão Connected inclui modos multiplayer inéditos que, em conjunto com várias outras modalidades, resultam em um pacote notável. O jogo chega agora ao Switch em uma adaptação excelente. Continue Lendo “Análise: Tetris Effect: Connected”

Análise: Mini Motorways

Cuidar do tráfego viário de uma grande cidade parece uma tarefa enfadonha, no entanto Mini Motorways prova exatamente o contrário. O jogo, que é uma sequência do puzzle metroviário Mini Metro, desafia o jogador a desenvolver o trânsito de uma metrópole em expansão por meio de mecânicas simples e repletas de nuances. Além disso, o título chama a atenção com seu visual minimalista vibrante, resultando em uma experiência simultaneamente relaxante e desafiadora, mas que peca um pouco na variedade de situações. Continue Lendo “Análise: Mini Motorways”