Persona 5 (PS3/PS4): primeiras impressões

Depois de muita espera e adiamentos, Persona 5 finalmente chegará ao PlayStation 3 e PlayStation 4. O quinto título da franquia da Atlus vem com a promessa de trazer uma trama profunda, personagens carismáticos, refinamentos nos sistemas e ótimas mecânicas. Joguei por volta de 18 horas da nova aventura no PS4 e gostei muito do que vi, confira o que me chamou a atenção nesse início.

Continue Lendo “Persona 5 (PS3/PS4): primeiras impressões”

Anúncios

The Witcher 3: Wild Hunt (PS4): primeiras impressões de um novato

A nova aventura de Geralt de Rívia é complexa, imersiva e divertida.

witcher3

Confesso que nunca fui muito fã de jogos de mundo aberto — não via muita graça em ficar indo pra lá e pra cá, realizando missões e tarefas. Até dei uma chance ao estilo com inFAMOUS: Second Son (PS4) e até gostei da experiência, por mais que achei tudo meio repetitivo e sem variedade. Por conta disso, não dei muita atenção a The Witcher 3: Wild Hunt — na minha cabeça parecia mais um desses títulos de temática medieval com muita repetição de missões parecidas. Pouco a pouco, entretanto, passei a acompanhar as novidades do jogo e meu interesse só foi crescendo, ele parecia ser bem diferente do que eu pensava. Com o lançamento do jogo, cedi à grande empolgação e agora estou preso em um belo mundo fantástico e cativante. Continue Lendo “The Witcher 3: Wild Hunt (PS4): primeiras impressões de um novato”

Impressões: Super Mario 3D Land

E depois de muita espera finalmente Super Mario 3D Land. Mesmo sendo um dos jogos mais esperados de 3DS para alguns, eu não tinha muito interesse nele. Conforme os vídeos foram sendo divulgados eu acabei me rendendo. A minha impressão inicial é boa e bate bem com o que estão falando por aí.

O que achei legal:

  • Efeito 3D: Finalmente um efeito 3D no 3DS que vale a pena. Não sei muito bem como explicar, mas Mario 3D Land com 3D desligado não é a mesma coisa. Dá pra sentir bem a profundidade de tudo, muito legal. E também existem alguns pontos (puzzles) em que o 3D é realmente necessário, sem ele fica muito mais difícil saber aonde se deve pular. Uma pena que são poucos puzzles que utilizam de fato o 3D, mas já é um começo para que isso seja utilizado mais vezes.
  • Gráficos: SM3DL apresentou até agora os melhores gráficos que vi no 3DS. Tudo roda de maneira fluída e tudo é bonito, praticamente no nível de Super Mario Galaxy. E a direção de arte é legal também, tudo bem colorido e único, como é de costume nos jogos do Mario.
  • Divertido: É muito divertido jogar SM3DL e isso se dá principalmente pelo level design variado. Cada fase é bem diferente da outra, repletas de pequenas coisinhas legais e detalhezinhos em todos os cantos. Só não espere algo completamente novo e impressionante como Mario Galaxy, é mais uma mistura das aventuras 2D e 3D. Mesmo com menos movimentos que nos jogos anteriores, Mario ainda é fácil de controlar e tem movimentos legais. O que mais gostei sem sombra de dúvidas é o movimento de ‘rolar’ do Tanooki Mario, muito legal! As referências aos vários Marios anteriores também são bem legais.

O que não achei tão legal assim:

  • Pouco conteúdo: SM3DL tem somente um modo principal e só. Nada de minigames ou multiplayer como nas aventuras de DS. As fases são curtas e não existem muitas delas. Eu mesmo cheguei ao mundo 4 (de 8 mundos) em menos de 2h, jogando normalmente, sem pressa. Outra questão é que a progressão é linear, ou seja, não existe um mapa com caminhos alternativos como no New Super Mario Bros. O recurso do StreetPass não é lá muito interessante também e não adiciona nada de significativo ao jogo. E sim, sei do que se trata o conteúdo e extra e acredito que minha opinião não vá mudar muito.
  • Fácil: As fases são fáceis, muito fáceis, é bem difícil morrer. Fica a impressão que o público-alvo são pessoas que não costumam jogar muito. Sem contar que o suposto desafio do jogo consiste em pegar todas as Star Medals de cada fase, moedas essas que costumam estar em lugares óbvios ou de fácil localização. E é uma pena também que as habilidades um pouco avançadas como rolar e pulo longo sejam subutilizadas, já que não existe a necessidade de usá-las para terminar as fases. Mesmo morrendo várias vezes (por descuido principalmente) e tendo perdido uma ou outra Star Medal, ainda acho o jogo fácil.
  • Música: As músicas são legais e tal, mas faltou algo aqui. Depois de Super Mario Galaxy eu esperava uma trilha sonora ao menos no mesmo nível (ou próximo), mas o que encontrei foi uma trilha repleta de músicas reutilizadas dos Marios antigos e uma insistente música-tema que toca o tempo todo até você não conseguir aguentar mais. Infelizmente as músicas inéditas são fracas. Mas gostei muito da música da tela-título.

No geral gostei muito de Super Mario 3D Land. Não se compara aos últimos grandes jogos do Mario, mas é um ótimo jogo de 3DS.