Análise: Shantae: Half-Genie Hero (Multi)

O novo jogo da garota meio-gênio é bem bonito, porém vários problemas fazem com que a aventura não seja tão prazerosa.

Anúncios

A meio-gênio Shantae surgiu lá no Game Boy Color em um jogo simpático e excepcional para os padrões do portátil, mas como saiu no fim da vida do console poucos jogadores tiveram a chance de experimentá-lo. A desenvolvedora WayForward continuou produzindo títulos da franquia, todos eles para portáteis Nintendo (mesmo que os últimos tenham sido portados para outros sistemas), e a popularidade foi aumentando. Shantae: Half-Genie Hero é o primeiro jogo da garota completamente pensado para consoles de mesa e tem como maior destaque o visual elaborado. O novo título funciona como uma espécie de reinício da série e resgata alguns conceitos clássicos, ao mesmo tempo em que experimenta novas características. Continue Lendo “Análise: Shantae: Half-Genie Hero (Multi)”

Meus 10 jogos favoritos de 2016

Em um primeiro momento, pensei que joguei muita coisa em 2016, afinal não faltaram lançamentos. Mas depois que parei para observar e montar uma lista, e, na verdade, experimentei poucos jogos. Percebi que essa sensação veio do fato de eu ter jogado títulos diferentes e repletos de ótimas experiências.

Continue Lendo “Meus 10 jogos favoritos de 2016”

Análise: Severed (Multi)

Severed me chamou a atenção por vários motivos. A nova aventura do estúdio Drinkbox (conhecido principalmente pelo ótimo Guacamelee!) conta com uma temática inusitada e sombria, aliada a mecânicas de jogo bem únicas. O resultado é uma experiência tensa e desconcertante, que é também viciante por conta de sua ação frenética. O título foi lançado inicialmente para Vita e depois chegou ao iOS, Wii U e 3DS. Continue Lendo “Análise: Severed (Multi)”

Análise: Noitu Love: Devolution (Wii U/3DS)

Esse título indie traz uma experiência arcade inusitada por conta de seus controles e mecânicas diferenciadas.

Noitu Love: Devolution parece ter vindo direto da década de 90. O jogo, que é um frenético beat ‘em up em duas dimensões, apresenta visual em pixel art e mecânicas muito utilizadas naquela época. O que torna Noitu Love interessante é o esquema de controles diferenciado e único. Feito por um único desenvolvedor e lançado anteriormente para PCs, o jogo chega ao Wii U e 3DS com controles adaptados. Continue Lendo “Análise: Noitu Love: Devolution (Wii U/3DS)”

Meus 10 jogos favoritos de 2015

Em 2015 eu joguei um bocado e expandi meus horizontes. O fato mais marcante foi uma transição: nesse último ano eu passei muito mais tempo no PC e no PlayStation 4, no passado sempre fui um jogador mais Nintendo. Foi tanta coisa legal que achei uma boa ideia montar uma lista com meus 10 preferidos. Continue Lendo “Meus 10 jogos favoritos de 2015”

Análise: Xeodrifter (Multi)

Explore planetoides repletos de perigos e segredos nesse ótimo título indie.

xeodrifter-capa

Xeodrifter, um título da produtora independente Renegade Kid para praticamente todos os consoles disponíveis, tem tudo o que faz o gênero metroidvania tão divertido: vários mapas para vasculhar, inimigos em todos os cantos e novas habilidades para alcançar locais antes inacessíveis. O jogo conta com temática retrô e é uma experiência intensa, por mais que um pouco curta. Continue Lendo “Análise: Xeodrifter (Multi)”

Impressões: The Wonderful 101 (Wii U)

wonderful101

Me lembro até hoje da conferência da Nintendo na E3 de 2012: a companhia revelou Nintendo Land para Wii U e eu fiquei extremamente decepcionado. Não era bem isso o que eu esperava do novo console da Nintendo, que prometia experiências completamente novas. O jogo não me parecia tão interessante – por mais que eu gostei do título depois de lançado. Na mesma ocasião foi anunciado também um novo projeto da Platinum Games, desenvolvedora de jogos como Bayonetta e Metal Gear Rising. De codinome Project P-100, o título parecia uma mistura de Pikmin com Bayonetta, contando com ataques exagerados, belos e coloridos gráficos e muita ação. E mais de um ano depois, após alguns atrasos, o jogo foi lançado com o nome The Wonderful 101 e foi o motivo de eu finalmente tirar meu Wii U da gaveta e usar o console. Continue Lendo “Impressões: The Wonderful 101 (Wii U)”

Impressões: Wii U

Wii U

Sim, quem me conhece sabe que falei que não estava interessado no Wii U. Mas, assim como aconteceu com o 3DS, tive a oportunidade de conseguir o console no lançamento por um bom preço e decidi me aventurar. E não me arrependo, a Nintendo criou um sistema bem completo e divertido. Continue Lendo “Impressões: Wii U”