Análise: Ikenfell

Em Ikenfell exploramos uma escola de magia em um RPG conservador e inspirado em títulos clássicos. A exploração é básica, já o combate se destaca ao apresentar elementos de posicionamento e comandos de ação. Além disso, uma trama envolvente, personagens carismáticos e ambientação bem construída nos convidam a acompanhar a jornada até o fim. A despeito de alguns problemas de balanceamento e alguns conceitos simples demais, Ikenfell oferece uma experiência divertida. Continue Lendo “Análise: Ikenfell”

Análise: Against The Moon

Against The Moon mescla elementos de estratégia, tabuleiro e montagem de baralhos para criar um jogo por turnos único. As batalhas são repletas de situações complicadas e, para vencer, precisamos usar com cuidado os poucos recursos disponíveis — às vezes até mesmo somos forçados a sacrificar unidades para receber menos dano. As mecânicas são bem interessantes, porém problemas de balanceamento e quantidade reduzida de conteúdo impedem que o título se destaque. Continue Lendo “Análise: Against The Moon”

Análise: Star Renegades

Em Star Renegades, um exército espalha o caos e terror pela galáxia, e somente um grupo de guerreiros é capaz de enfrentar essa ameaça em um conflito que se espalha por diferentes dimensões. Combinando conceitos consagrados de RPG com a estrutura de roguelike, este título indie me conquistou com seu combate por turnos altamente estratégico e ótima ambientação com visual pixel art. O jogo ficou devendo um pouco em alguns aspectos, como os momentos de exploração, mas, mesmo assim, seus sistemas me envolveram e tentei inúmeras vezes derrotar o Imperium e sua agenda de caos. Continue Lendo “Análise: Star Renegades”

Do Japão: Seiken Densetsu 3

O Super Nintendo é lembrado até hoje como um console que tinha incríveis RPGs, muitos deles exclusivos do Japão. Um destes títulos notáveis é Seiken Densetsu 3 (聖剣伝説3), terceiro episódio da série que ficou conhecida como Mana no Ocidente. O jogo expandiu e melhorou vários conceitos de Secret of Mana, mas ficou restrito ao Japão por causa de várias questões, para a decepção dos fãs ocidentais. Surpreendentemente ele foi lançado oficialmente no resto do mundo 24 anos depois, mas mesmo assim ainda é interessante conhecer suas origens. Continue Lendo “Do Japão: Seiken Densetsu 3”

Análise: Virgo Versus the Zodiac

Em um universo alternativo, personificações dos signos do Zodíaco criaram reinos pelo cosmo, mas uma dessas entidades não aguenta mais a organização atual da galáxia e decide mudar tudo com as próprias mãos. Em Virgo Versus the Zodiac controlamos a representação do signo de Virgem em uma aventura moralmente dúbia. O jogo para PC produzido pelo estúdio brasileiro Moonana é um RPG que se destaca com temática ímpar, personagens carismáticos e sistema de batalha elaborado e variado. A mescla conceitos clássicos e modernos, com inspirações em Mario & Luigi e Mother, resulta em uma experiência empolgante. Continue Lendo “Análise: Virgo Versus the Zodiac”

Retrô: Breath of Fire

A desenvolvedora nipônica Capcom é conhecida principalmente por séries de ação de renome, como Street Fighter, Mega Man e Resident Evil. Mesmo assim, a companhia já explorou inúmeros gêneros, como a série de RPGs Breath of Fire. O primeiro jogo da franquia foi lançado para SNES na década de 1990 e tinha charme e personalidades únicos, mesmo não inovando a fórmula. Mesmo assim, é um título que é lembrado constantemente por jogadores — incluindo eu, afinal foi o meu primeiro contato com RPGs.

Continue Lendo “Retrô: Breath of Fire”

Análise: Tokyo Mirage Sessions #FE Encore

O mundo do entretenimento japonês é o palco de Tokyo Mirage Sessions #FE Encore, um curioso JRPG que mescla conceitos das franquias Fire Emblem e Shin Megami Tensei. No jogo, acompanhamos um grupo de artistas que precisa enfrentar criaturas de outra dimensão em uma aventura colorida, bem humorada e com muita música J-Pop. Por trás da atmosfera animada há um RPG sólido, cujo principal destaque é o ótimo sistema de batalha repleto de combos. Lançado originalmente para Wii U, o jogo chega ao Switch em uma versão com algumas novidades e melhorias, sendo uma ótima oportunidade para aproveitar esse crossover. Continue Lendo “Análise: Tokyo Mirage Sessions #FE Encore”

Retrô: Tactics Ogre: Let Us Cling Together

Vários subgêneros existem dentro do RPG. Um destes é o RPG tático, cuja principal característica é comandar um grupo de personagens a fim de vencer inúmeras missões. Um dos representantes do gênero RPG tático foi Ogre Battle: The March of the Black Queen, título que incluía também conceitos de estratégia em tempo real e evolução de personagens. Por conta de seu sucesso, era só uma questão de tempo para uma continuação ser produzida. Surpreendendo a todos, o sucessor de Ogre Battle era bem diferente. Tactics Ogre: Let Us Cling Together foi lançado em 1995 para SNES e não saiu do solo japonês. Em 1997 o jogo foi portado para o PlayStation e um ano depois localizado para o Ocidente. O título inaugurou um novo subgênero do RPG tático e foi influência para inúmeros outros jogos, sendo Final Fantasy Tactics o exemplo mais famoso. Continue Lendo “Retrô: Tactics Ogre: Let Us Cling Together”

Análise: Bug Fables: The Everlasting Sapling

Um grupo de três insetos exploradores que procura uma planta capaz de tornar qualquer um imortal é o centro de Bug Fables: The Everlasting Sapling, RPG produzido pelo estúdio independente panamense Moonsprout Games. O jogo é inspirado nos primeiros Paper Mario e apresenta muitas ideias parecidas, como trechos de plataforma e elementos de ação no combate, contudo ele consegue ter personalidade própria ao expandir e introduzir conceitos inéditos. O resultado é um RPG nostálgico, ímpar e muito divertido.
Continue Lendo “Análise: Bug Fables: The Everlasting Sapling”

Análise: Romancing SaGa 3

Romancing SaGa 3 é um RPG lançado originalmente para SNES em 1995 no Japão. Assim como outros jogos da franquia, o título se destaca com muitos elementos experimentais e nada usuais, ainda mais quando levamos em conta a época do lançamento original. Agora, pela primeira vez, o jogo chega ao Ocidente de forma oficial em uma versão remasterizada e com alguns extras, sendo uma ótima oportunidade para experimentar um dos melhores títulos da exótica série de JRPGs.

Continue Lendo “Análise: Romancing SaGa 3”