Análise: Psycho-Pass: Mandatory Happiness (PS4/PS Vita)

Esse visual novel traz trama e personagens inéditos e é perfeito para os fãs da série animada.

Anúncios

Psycho-Pass é um anime conhecido pela sua trama densa e cenas chocantes. Por conta disso, nada mais natural que um jogo baseado nele tenha como foco justamente a história. Psycho-Pass: Mandatory Happiness é um visual novel para PlayStation 4 e PS Vita (e futuramente PC) que coloca o jogador no centro de uma narrativa tensa e interessante. Continue Lendo “Análise: Psycho-Pass: Mandatory Happiness (PS4/PS Vita)”

Anime: The Boy and the Beast (Bakemono no Ko)

Amadurecimento e a passagem para a vida adulta são temas frequentes no mundo dos animes. O filme The Boy and the Beast (バケモノの子 — Bakemono no Ko, O Rapaz e o Monstro no Brasil) utiliza justamente essa premissa, com o diferencial de ter um bocado de fantasia e personagens interessantes. O resultado é uma bela e divertida aventura. Continue Lendo “Anime: The Boy and the Beast (Bakemono no Ko)”

Anime: Patema Inverted

patema

Como seria ir para um mundo no qual a gravidade é invertida e é possível “cair” no céu? Essa é a premissa do longa de animação Patema Inverted (ou サカサマのパテマ — Sakasama no Patema), que explora a dualidade de um universo de física inusitada em uma aventura instigante e divertida. Continue Lendo “Anime: Patema Inverted”

Anime: ALDNOAH.ZERO

aldnoah-zero-01

Sempre dou uma olhada nos lançamentos de animes de cada temporada, mas poucos continuam me interessando. Foi por acaso que eu soube da existência de ALDNOAH.ZERO, um novo anime com robôs gigantes e conflitos interplanetários. Não sou muito fã de histórias com mechas, mas duas coisas me chamaram a atenção nesse título: foi criado por Gen Urobuchi (de Madoka Magica, Fate/Zero e Psycho-Pass) e a premissa básica (pessoas com robôs inferiores conseguem superar os vilões). Por conta disso, dei uma chance à Aldnoah.Zero e me surpreendi. Continue Lendo “Anime: ALDNOAH.ZERO”

Anime: PSYCHO-PASS

psycho-passFoi-se o tempo que eu acompanhava vários animes simultaneamente. O principal motivo mesmo foi a falta de paciência: as tramas se tornaram rasas e bobas e meu interesse foi sumindo. Felizmente encontrei algumas exceções incríveis como Mononoke e Kids on the Slope, o que me incentivou a continuar dando uma olhada nos lançamentos de cada temporada, algumas vezes um ou outro anime me interessa. Psycho-Pass foi uma dessas séries que me chamou atenção e já é um dos meus animes favoritos. Continue Lendo “Anime: PSYCHO-PASS”

Summer Wars

Kenji é um gênio na matemática e em suas férias de verão está trabalhando como estagiário no mundo virtual de Oz (mundo este no qual todas pessoas têm um avatar e controlam tudo da sua vida por ali), nada de muito. Keiji então recebe um convite inusitado: Natsuki, a garota mais popular de sua escola, lhe convida para trabalhar nos preparativos da festa de 90 anos da avó dela, na casa de campo da família. Os problemas começam quando Oz é invadido por um hacker, trazendo caos tanto para o mundo real quanto para o virtual, mudando completamente os rumos de uma viagem que parecia ser pacífica.

A sinopse não faz jus ao filme, nunca. Eu mesmo não dava nada pra uma premissa dessas… E me surpreendi totalmente com uma história que toma rumos imprevisíveis.

Continue Lendo “Summer Wars”

O tempo não espera por ninguém

Toki wo Kakeru Shoujo

4 estrelas!

Não me lembro ao certo quando exatamente descobri Toki wo Kakeru Shoujo (algo como “a garota que conquistou o tempo”), mas lembro que foi procurando informações sobre Paprika. Não fiquei tão animado em vê-lo como o Paprika, mas era certo que eu iria assisti-lo…

Makoto é uma estudante que está tendo um dia muito ruim: acorda atrasada para a aula, acaba tendo um teste surpresa, causa um incêndio na aula de culinária. Quando pensa que está tendo um momento de paz, ela se encontra presa no laboratório de química da escola e acaba tropeçando em algo e consequentemente caindo. Nos segundos que duraram este tombo, Makoto tem uma estranha visão… Por fim ela consegue sair da sala e volta pra casa de bicicleta, só que Makoto sofre um acidente fatal. Mas algo incrível acontece: Makoto volta no tempo alguns segundos e assim consegue evitar sua própria morte. Ela descobre então que adquiriu uma habilidade chamada “salto no tempo”, habilidade essa que lhe permite voltar no tempo. Makoto começa a utilizar este poder da maneira que bem lhe convém… Mas será que ela é capaz de aceitar as conseqüências do uso desse poder?

A essência da história pode parecer um pouco genérica e batida, mas a execução da trama se revela bem original. Cada personagem tem uma personalidade única, mas ao mesmo tempo muito próxima da realidade, fazendo com que muitos se identifiquem com os mesmos. O trio principal apresenta muito carisma, se sobressaindo em relação aos outros personagens. Na parte técnica, Toki wo apresenta lindos e detalhados cenários, como é de se esperar de qualquer longa-metragem de animação japonesa. O traço dos personagens é simplista, aproximando com a realidade do mundo. Para acompanhar a história, belas melodias ao piano foram utilizadas, dando um ar simples e único ao filme

Por fim, o que mais me impressionou e cativou foram as cenas finais, repletas de emoção e imprevisibilidade, por mais que alguns pontos do desfecho fossem completamente previsíveis. A mensagem em que a história foi montada também é muito interessante, assim como a maneira que foi trabalhada

Toki wo Kakeru Shoujo é um ótimo drama, com algumas pitadas de comédia e romance. E fica no ar a reflexão: você está utilizando bem o seu tempo?

Paprika: sonhos temperados

Paprika2

4estrelas

Chiba Atsuko, uma psicoterapeuta, e Okita Kosaku, um cientista, criaram em conjunto com a sua equipe um impressionante aparelho chamado DC-mini. Com este aparelho é possível entrar nos sonhos dos pacientes para facilitar o tratamento dos mesmos. Os primeiros DC-mini criados são somente protótipos, sendo utilizados com cautela, pois é possível destruir a personalidade dos pacientes caso algo errado seja feito. O problema começa quando alguns desses DC-mini são roubados e logo em seguida os integrantes da equipe de desenvolvimento começam a serem atacados em seus sonhos. Dra. Chiba então passa a investigar quem está por trás destes ataques assumindo a forma da bela Paprika, correndo contra o tempo para evitar que os problemas tomem proporções ainda maiores.

Paprika é um passeio na mente dos personagens da trama. Dúvidas, problemas e lembranças são mostradas através de cenas repletas de simbolismos e detalhes. Por mais que não pareça, Paprika1boa parte dos personagens tem personalidade rica e complexa, que são exteriorizadas ao máximo nos sonhos. É necessária muita atenção para entender o que realmente se passa, o que realmente cada personagem sofre ou pensa.

Algo muito legal em Paprika é a maneira que a história é contada, ora na realidade, ora nos sonhos. Chega um momento que estes dois mundos parecem estar (ou realmente estão) sobrepostos, ficando difícil distinguir o que é sonho e o que é real, trazendo assim várias cenas interessantes. A trama é simples, sua conclusão mais ainda. Os mais atentos conseguirão perceber com certa facilidade quem está por trás dos ataques investidos contra a equipe. Outro ponto interessante são referências ao mundo da Psicologia e Mitologia, como o momento em que Paprika se transforma em uma fada com asas de borboleta (que representa a alma e a liberdade do corpo).

A arte é simplesmente incrível. O traço dos personagens tem um certo ar surreal (como o Dr. Shima), Paprika3ao mesmo tempo que são belos. Os cenários apresentam detalhamento absurdo e cores muito vivas e fortes. Destaque para o desfile estranho que acontece nos sonhos dos personagens. A trilha sonora é composta de poucas músicas, mas consegue dar o ar necessário ao filme. São canções que apelam mais para o estilo eletrônico e psicodélico, adicionando ainda mais à atmosfera surreal do filme. As duas músicas mais tocadas no filme grudam na cabeça com facilidade.

Paprika não é tão fácil de ser digerido. Muitos não irão gostar, dizendo que é muito confuso ou bagunçado. Já acho que este foi um fator decisivo para eu gostar muito do filme: é bem surreal, diferente. Como era de se esperar, assistir mais de uma vez ajuda a entender melhor o que se passa, assim como os motivos de cada personagem.

Enfim, Paprika é um ótimo tempero para a mente.