Análise: Star Ocean: Integrity and Faithlessness (PS4)

O quinto título da série tem ideias interessantes, mas desaponta com a execução mediana.

Anúncios

Os RPGs japoneses tentaram se reinventar durante os últimos anos. O gênero era conhecido principalmente por seus combates por turnos e narrativas complexas. Star Ocean é uma série que nasceu no SNES e que foi pioneira no sentido de explorar temas não muito comuns na época, como a viagem interestelar, e também ao incluir sistemas únicos e interessantes. Star Ocean: Integrity and Faithlessness é o quinto título da série principal e tinha como principal missão resgatar as características mais marcantes da franquia, ao mesmo tempo que a apresenta a novos jogadores. O RPG para PlayStation 4 apresenta várias ideias promissoras, que, infelizmente, não alcançam seu potencial por conta da execução mediana. Continue Lendo “Análise: Star Ocean: Integrity and Faithlessness (PS4)”

Análise: SteamWorld Heist (Multi)

Comande robôs piratas neste carismático indie repleto de combates táticos divertidos e intensos.

Um grupo de piratas, composto de robôs movidos a vapor, é o foco deSteamWorld Heist. O título é um RPG estratégico em duas dimensões que mistura conceitos como turnos e mira manual na hora de atirar. Lançado até o momento para 3DS, PS4, PS Vita e PC, o jogo oferece uma aventura variada, um universo interessante e mecânicas de jogo bem divertidas. O mais curioso é que Heist é uma espécie de continuação de SteamWorld Dig (Multi): a trama se passa no mesmo universo e até mesmo a direção de arte é similar, mas o jogo em si traz uma experiência completamente diferente. Continue Lendo “Análise: SteamWorld Heist (Multi)”

Análise: Guilty Gear Xrd -REVELATOR- (PS4/PS3)

A atualização de Xrd Sign traz poucas novidades, mas mantém a alta qualidade da série.

A série de jogos Guilty Gear é conhecida pelo seu visual incrível, pela trilha sonora marcante e por uma jogabilidade complexa. Guilty Gear Xrd Sign (Multi) marcou o retorno da serie depois de muitos anos de espera por conta de problemas de licenciamento que impediam a desenvolvedora Arc System de fazer um novo jogo. O título foi muito bem recebido. Guilty Gear Xrd -REVELATOR- é, na verdade, uma atualização de Sign e conta com algumas novidades. O título chega ao PlayStation 3 e ao PlayStation 4 prometendo melhorar um pouco mais do que foi introduzido em Xrd Sign.
Continue Lendo “Análise: Guilty Gear Xrd -REVELATOR- (PS4/PS3)”

Análise: Odin Sphere: Leifthrasir (PS4/PS3/Vita)

O jogo da Vanillaware passou por mudanças profundas e o resultado é um título novo, mais acessível e interessante.

Odin Sphere foi um dos últimos jogos de destaque do PS2 e recebeu muitos elogios na época por conta de seu visual e universo. Infelizmente, o título tinha alguns problemas técnicos, além de mecânicas de jogo complicadas demais. Foi pensando nos fãs e nas novas plataformas que a Vanillaware decidiu produzir Odin Sphere: Leifthrasir para PlayStation 4, PlayStation 3 e Vita. Trata-se de uma reimaginação do jogo de PS2 e conta com novas mecânicas, gráficos retrabalhados e conteúdo adicional. As mudanças foram tão significativas que a sensação é a de jogar algo completamente novo.
Continue Lendo “Análise: Odin Sphere: Leifthrasir (PS4/PS3/Vita)”

Análise: Wand Wars (Multi)

Chame seus amigos e tente descobrir quem é o melhor mago nesse ótimo título indie.

Bruxos, robôs mágicos e gatos pretos voando em vassouras, todos tentando derrotar um ao outro com uma esfera de magia. Essa é a premissa de Wand Wars, título independente para PC, PS4 e Xbox One. O foco do jogo é o multiplayer local, que comporta até quatro jogadores simultâneos. Suas mecânicas simples e jogabilidade ágil tornam a experiência intensa e divertida, o resultado é um ótimo party game.
Continue Lendo “Análise: Wand Wars (Multi)”

Análise: Hyper Light Drifter (PC)

Gosto muitíssimo quando um jogo me transporta completamente para dentro de seu universo. Hyper Light Drifter, um título independente para PC (e futuramente consoles), conseguiu me prender fortemente com sua excelente ambientação e mecânicas bem executadas. Explorar seu mundo me fez sentir inúmeras sensações, algumas delas conflitantes, mas no final eu não queria mais sair dele. Continue Lendo “Análise: Hyper Light Drifter (PC)”

Análise: Enter the Gungeon (PC/PS4)

Esse indie mistura muito bem diferentes gêneros e traz uma aventura divertida e repleta de conteúdo.

Uma lenda diz que existe uma arma capaz de “matar” o passado. Em Enter the Gungeon, título indie para PC e PS4, pessoas de todo o universo exploram um curioso labirinto em busca desse artefato numa aventura que mistura tiro, roguelikee dungeon crawling. O jogo combina mecânicas simples, ação frenética e uma boa dose de maluquice, tendo como resultado uma experiência viciante. Continue Lendo “Análise: Enter the Gungeon (PC/PS4)”

Análise: Momodora: Reverie Under the Moonlight (PC)

Um dos gêneros recorrentes no mundo dos jogos independentes é o metroidvania. Com tantos títulos com conceitos parecidos, é meio complicado se destacar.Momodora: Reverie Under the Moonlight é um representante desse gênero e consegue ser único ao focar em algumas poucas características. O resultado é um jogo que faz muito bem o que propõe e sem exageros, o que torna ótima a experiência. Continue Lendo “Análise: Momodora: Reverie Under the Moonlight (PC)”

Análise: Armello (PC/PS4)

Use cartas e dados para conquistar o trono nesse indie que combina vários estilos diferentes.

Armello é um título indie para PCs e PS4 que tem uma premissa interessante: trazer a experiência de um jogo de tabuleiro para o meio digital de forma acessível e única, aproveitando-se de recursos que só podem ser utilizados nessa plataforma. Como amante de aventuras de tabuleiro, fiquei muito curioso quando soube da existência do jogo e de suas promessas. Depois de inúmeras partidas, concluí que Armello tem qualidades suficiente para agradar tanto amantes de títulos de estratégia quanto aqueles que gostam de jogos de tabuleiro.
Continue Lendo “Análise: Armello (PC/PS4)”

Análise: Darkest Dungeon (PC)

Mecânicas interessantes e alto desafio permeiam a aventura que se passa em calabouços sombrios e repletos de perigos.

Lembro-me até hoje do momento em que conheci Darkest Dungeon por meio de um trailer. O vídeo mostrava o novo RPG para PC, que tinha uma premissa muito interessante: os heróis eram suscetíveis a estresse e mudavam drasticamente durante a aventura. O título, que foi financiado por meio do Kickstarter e também será lançado para PlayStation 4 e PS Vita, passou quase um ano inteiro no programa de Acesso Antecipado do Steam, e pude acompanhar de perto todas as atualizações. O resultado de tanto empenho é um jogo sombrio, difícil e intenso, capaz de evocar inúmeras sensações.
Continue Lendo “Análise: Darkest Dungeon (PC)”