Nos ouvidos #7: Gesu no Kiwami Otome. — Watashi Igai Watashi ja Nai no

O nome incomum de Gesu no Kiwami Otome. (ゲスの極み乙女。, algo como “menina no alto da grosseria”) dá uma leve dica do som da banda. Fundado em 2013, esse grupo de artistas japoneses denomina seu estilo como uma mistura de hip-hop e progressivo, com a presença de elementos do pop e indie rock. Continue Lendo “Nos ouvidos #7: Gesu no Kiwami Otome. — Watashi Igai Watashi ja Nai no”

A música delirante de Ladyhawke

 

ladyhawke-capa

Lá vem mais pop eletrônico: Ladyhawke

Ladyhawke é, segundo ela mesma:

Olá, meu nome é Ladyhawke. Sou uma dama, não uma banda.
Sou uma dama que ama jogar. Amo videogames. Amo minhas guitarras. sintetizadores. Gatos.
Fazendo barulho, apertando botões, fios, cabos, solidão, olhando telas, filmes, colecionando coisas.

Uma descrição um tanto quanto nerd/geek, não?
Continue Lendo “A música delirante de Ladyhawke”

Impressões: Xam’d Lost Memories

Xam’d Lost Memories (Bounen no Xamdou – 亡念のザムド) é o novo anime do estúdio Bones (famoso por Fullmetal Alchemist e Darker Than Black, por exemplo) e é impressionante e peculiar. Peculiar pelo formato (pelo menos até o momento): distribuição digital na Playstation Store. E impressionante pela qualidade de tudo no anime. Assisti os dois primeiros episódios.

Continue Lendo “Impressões: Xam’d Lost Memories”

Jorane e o “Vento Louco”

Jorane (ou Jorânia, como chama um amigo) é uma cantora francesa-canadense que utiliza um violoncelo em suas músicas. Parece que ela é excepcional por conseguir tocar e cantar ao mesmo tempo (não tenho conhecimento suficiente pra decidir se isso é incrível ou não), mas realmente parece que não é uma tarefa fácil. Sim, entendo somente umas poucas palavras da lingua francesa, mas gosto muito da Jorane.

Continue Lendo “Jorane e o “Vento Louco””