Análise: Koumajou Remilia: Scarlet Symphony

Possivelmente você já ouviu falar de Touhou Project, uma série de jogos de tiro no estilo bullet hell que é conhecida por ser estrelada por garotas e por ser extremamente difícil. A fama da franquia fez com que ela fosse além dos shoot em’ ups, com vários títulos explorando o seu universo de outras maneiras. Um desses spin-offs é Koumajou Remilia: Scarlet Symphony, uma aventura de ação e plataforma clássica que não deixa de lado a característica mais marcante da série, ou seja, muitos momentos com inúmeros projéteis na tela. Continue Lendo “Análise: Koumajou Remilia: Scarlet Symphony”

Análise: Monument Valley 2: Panoramic Edition

Em Monument Valley 2: Panoramic Edition, continuamos alterando os cenários para resolver puzzles visualmente instigantes. A sequência do título indie ousa pouco ao expandir levemente os conceitos do antecessor, mas, em contrapartida, apresenta enigmas e visuais ainda mais surreais e deslumbrantes. A versão Panoramic Edition conta com visuais e controles adaptados para PCs, além de incluir também um capítulo extra. Mesmo sem grandes revoluções, Monument Valley 2 oferece uma experiência sem igual. Continue Lendo “Análise: Monument Valley 2: Panoramic Edition”

Análise: Monument Valley: Panoramic Edition

Monument Valley: Panoramic Edition brinca com perspectivas e manipulação de cenários para criar enigmas criativos e instigantes. Além disso, o jogo nos cativa com sua atmosfera calma e também com seu belíssimo visual minimalista. Lançado inicialmente para dispositivos móveis, o título chega ao PC em uma versão que inclui todas as expansões e com visual adaptado para telas de proporção horizontal. Elegante e meditativo, Monument Valley continua sendo um puzzle excepcional. Continue Lendo “Análise: Monument Valley: Panoramic Edition”

Análise: TombStar

TombStar é um título de ação e tiro com duas alavancas bem direto, ou seja, basta atirar em tudo que se mexer. O ritmo é acelerado e conta com elementos de roguelike, como armas e mapas diferentes a cada partida, que ajudam a deixar a aventura mais interessante. Produzido pelo criador do sucesso mobile Crossy Road, o jogo agrada com sua atmosfera colorida e ação precisa, porém faltou maior variedade e personalidade para conseguir se destacar. Continue Lendo “Análise: TombStar”

Análise: Undergrave

Undergrave combina elementos de puzzle e estratégia em uma aventura roguelike desafiadora. No controle de um guerreiro, podemos saltar, correr e lançar a espada para derrotar monstros, sendo o desafio conseguir gerenciar a energia limitada do herói. Produzido pelo estúdio brasileiro Wired Dreams, o jogo prende a atenção com suas boas mecânicas. No entanto, a pequena diversidade de situações atrapalha a experiência. Continue Lendo “Análise: Undergrave”

Análise: Little Noah: Scion of Paradise

Roguelikes são conhecidos por, às vezes, apresentarem conceitos complexos e muitas nuances a serem dominadas, o que pode afastar alguns. Little Noah: Scion of Paradise vai no caminho oposto e oferece uma aventura roguelite descomplicada e casual cujo maior destaque é a versatilidade na montagem de combos. Essas decisões, em conjunto com o visual colorido, resulta em um jogo acessível e agradável. No entanto, a simplicidade acaba sendo também o seu maior revés. Continue Lendo “Análise: Little Noah: Scion of Paradise”

Análise: Grindstone

Grindstone, em uma primeira olhada, parece mais um desses vários puzzles de combinar peças da mesma cor. Em sua essência ele é exatamente isso, mas elementos estratégicos e mecânicas variadas trazem variedade às partidas — seu conceito é simples de entender, porém conta com muitas nuances a serem dominadas. Um universo carismático e colorido, aliado a muito conteúdo e jogabilidade simples, resultam um jogo viciante. Continue Lendo “Análise: Grindstone”

Análise: Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge

Em Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge, as Tartarugas Ninja enfrentam novamente Destruidor e seus capangas em um beat ‘em up tradicional. O jogo resgata a ação descomplicada de clássicos dos personagens, como Turtles In Time, ao mesmo tempo que introduz algumas novidades. A ação ágil, o visual pixel art elaborado e o multiplayer para até seis participantes criam uma experiência arcade acessível e divertida. O título se inspira demais na nostalgia e ousa pouco, mas o resultado final é positivo. Continue Lendo “Análise: Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge”

Análise: Demon Slayer – Kimetsu no Yaiba – The Hinokami Chronicles

Como é de praxe, obras populares de diferentes mídias, em algum momento, acabam sendo adaptadas para jogos. Demon Slayer – Kimetsu no Yaiba – The Hinokami Chronicles transforma o universo de Koyoharu Gotouge em um título que traz a ação empolgante dos embates do anime. Além de visual excepcional, o jogo conta com um sistema de luta acessível e uma boa reprodução da trama. No entanto, a simplicidade das mecânicas e do conteúdo impedem que essa adaptação se destaque. Continue Lendo “Análise: Demon Slayer – Kimetsu no Yaiba – The Hinokami Chronicles”

Análise: OlliOlli World: VOID Raiders

OlliOlli World surpreendeu com sua boa mistura de skate e plataforma em uma sequência que tornou a série mais acessível sem deixar de lado o desafio característico. A aventura pela Radlândia agora continua em VOID Raiders, primeiro pacote de conteúdo por download. A expansão usa o espaço como tema e introduz mais situações surreais em estágios inéditos. O DLC tem conteúdo de qualidade, mas não conta com novidades notáveis em relação à campanha principal. Continue Lendo “Análise: OlliOlli World: VOID Raiders”