Impressões: Project X Zone (3DS)

project_x_zone_01

Quando um crossover entre a Capcom, Sega e Namco Bandai foi anunciado para 3DS muitos jogadores, inclusive eu, ficaram animados. O resultado dessa parceria é Project X Zone (lê-se “project cross zone”), um RPG de ação que mistura os personagens dessas companhias. Acontece que as chances do título aparecer no Ocidente eram bem baixas por conta da complicação de ter tantas franquias diferentes num mesmo jogo e por conta do sucesso não garantido. Mas contrariando todas expectativas o título foi lançado nesse lado do planeta.

Project X Zone é uma espécie de “sucessor espiritual” de Namco X Capcom, RPG para PS2 que só saiu no Japão. A história é básica: um artefato mágico é roubado por uma organização misteriosa, o que faz com que portais apareçam e liguem vários mundos diferentes. Personagens das três companhias acabam se encontrando por conta disso e tentam descobrir os objetivos do grupo de vilões. Nada como portais interdimensionais para juntar heróis tão diferentes, não?

~

Gostei

Sistema de batalha: A característica mais legal de Project X Zone é seu sistema de batalha, que é uma evolução dos combates de Namco X Capcom e Super Robot Taisen OG Saga: Endless Frontier (DS). Controlando uma dupla, você ataca os inimigos em tempo real. O botão A, combinado com o direcional, desfere golpes diferentes. Os ataques lançam os inimigos no ar e é necessário coordenação para usar os golpes na hora certa e impedir que o oponente toque o chão, num malabarismo frenético. É possível chamar outros personagens para atacar e até desferir golpes especiais, além de algumas outras nuances. A tela fica uma bagunça com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, mas uma vez que você entende tudo fica divertido.

pxz_01

Sprites 2D: Os heróis e inimigos do jogo são representados por meio de detalhados sprites 2D. A movimentação deles é fluída e exagerada, resultando em um visual muito bom de se ver. Gostei principalmente dos ataques especiais, por conta de suas sequências mais complexas e efeitos de luz.

Crosspedia: Muitos personagens que aparecem na aventura nunca deram as caras no Ocidente, logo é muito comum não reconhecer alguns heróis. Felizmente o jogo conta com a Crosspedia, uma enciclopédia contendo descrições de todos os personagens.

15 arquivos: Em tempos que ter mais de um arquivo em um jogo é coisa rara, achei muito legal ter quinze slots disponíveis. Ok, não vou usar todos, mas é útil quando você empresta jogos para os amigos, como é o meu caso.

Extras da versão limitada: A primeira tiragem de Project X Zone veio com alguns extras: livreto de artworks, CD com faixas da trilha sonora e miniposter. Não é nada extraordinário, mas são itens legais de se ter.

project_x_zone_03 project_x_zone_02

~

Não gostei

Pouca profundidade: Mesmo sendo muito divertido, Project X Zone carece de profundidade. Ele se auto intitula “épico RPG de estratégia”, mas é muito menos que isso. Sim, você move seus personagens numa grade como em Fire Emblem: Awakening e Final Fantasy Tactics, contudo não tem muita estratégia envolvida. Os personagens não têm diferenças distintas entre si além dos ataques em batalha, o terreno não tem características únicas, os cenários são abertos em sua maioria. Logo tanto faz a posição em que suas unidades estão, basta destruir tudo pela frente. A customização também é bem limitada.

Baixo desafio: As batalhas do game são muito divertidas, mas o desafio é baixo. A maioria dos inimigos é destruída facilmente e os chefes não passam de oponentes mais resistentes. Ver heróis derrotados é algo raro, já que em um mesmo turno é possível utilizar técnicas de suporte e quantidades ilimitadas de itens.

pxz_02

Qualidade da música: O título tem grande quantidade de faixas, retiradas principalmente de outros jogos. Contudo, a qualidade é sofrível: além das composições estarem abafadas por conta da compactação, elas utilizam uma combinação ruim de instrumentos. Um exemplo claro é a música “Brave New World”, de Namco X Capcom, a versão original é muito melhor que a versão do PXZ.

~

Project X Zone é uma experiência divertida e uma ótima oportunidade de ver tantos personagens legais juntos, sendo os únicos defeitos a falta de profundidade e baixo desafio. A confusão de elementos na batalha, a dublagem japonesa e o alto nível de fanservice pode afastar alguns, mas é fato que Project X Zone é mais um dos jogos de destaque do 3DS. Se gosta do gênero e dos personagens, pode jogar sem medo.

Anúncios

4 comentários em “Impressões: Project X Zone (3DS)”

  1. Já tinha ouvido falar sobre a facilidade dele e da pouca estratégia, ainda assim, quem comprou (que eu conversei) não se arrependeu, parece muito belo e frenético. Vou dar uma olhada com atenção depois.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s