Sob Mil Disfarces, de Craig Clevenger


The Contortionist’s Handbook, upload feito originalmente por FaruSantos.

A história da vida de uma pessoa é igual ao que ela tem somado com o que mais deseja ter no mundo menos o que realmente está disposta a sacrificar para consegui-lo. Basta você descobrir essas coisas a respeito de alguém para saber quase todo o resto. Os números fracionários são os gestos de cabeça, trejeitos faciais ou movimentos das mãos que as pessoas fazem sem perceber, e todos eles levam a um resultado, se você souber notá-los (pág 86)

Mais um livro desconhecido e interessante, como é bom encontrar livros assim 🙂

Ele se chama Daniel Fletcher. Ou Paul Mcintyre. Ou Steve Edwards. Ou Eric Bishop. Os nomes se sucedem vertiginosamente. John Dolan Vincent, afinal, é um mestre da falsificação – e um gênio na construção de identidades. Vincent, que cresceu com a dolorosa peculiaridade de ter seus dedos em uma de suas mãos, vive de subempregos e de pequenos crimes. Seu segredo é passar despercebido e transformar-se em uma nova pessoa cada vez que se coloca em perigo. E cada vez que é internado por overdose na tentativa de vencer as lancinantes dores de cabeça que o atormentam. Agora, porém, o perigo está muito mais perto. Vincent/Fletcher está envolvido com uma organização criminosa muito mais eficiente – e cruel – do que poderia imaginar. Está colocando em risco a única pessoa a quem conseguiu amar. E, sob mil disfarces que inventou, está à beira de perder-se, definitivamente, de si mesmo.

Não se deixe enganar pela sinopse pretensiosa, Sob Mil Disfarces nem é isso tudo não, é um tanto mais simples. Não que seja algo ruim, mas acaba que a simplicidade da trama atrapalhe um pouco a experiência.

A história é meio que como uma montanha russa. Começa interessante e confusa, ao mesmo que é instigante, tudo de uma maneira que o leitor quer saber melhor o que está acontecendo. Aí a história desce, fica morna e um tanto quanto comum… até quase no desfecho aonde cenas interessantíssimas acontecem. No fim das contas eu gostei do resultado, mesmo que a parte morna tenha alguns pontos meio repetitivos, mas os momentos finais intensos salvaram bem o conjunto.

A melhor característica de Sob Mil Disfarces sem sombra de dúvidas é o protagonista John Vincent. Ele é extremamente bem construído, por mais que seja levemente estereotipado por ter características comuns de personagens desse tipo de trama (memória fotográfica, extremamente inteligente), mas o autor consegue contrabalancear isso tudo com defeitos fortes (um pouco de paranoia implícita e dependência em drogas). Os melhores momentos são as análises detalhadas de John das pessoas e situações, assim como sua excepcional capacidade de manipulação.

Alguns não podem gostar do final meio inconclusivo, assim como muitos trechos supostamente inúteis. Sim, tem muitas partes que realmente não adicionam muito à trama… Mas fui surpreendido por certas coisas que John fez e pareciam sem propósito pra poder utilizar de maneira muito inteligente bem mais na frente. O outro principal problema é a “parte antagonista” da história que é muito subdesenvolvida e não faz tanta diferença. E essa edição que li tinha alguns erros de ortografia, felizmente não chega a arruinar a experiência.

Me surpreendi com Sob Mil Disfarces. Uma história interessante e inteligente, que só peca por investir em alguns pontos não muito importantes. Muito bom!

Anúncios

Um comentário em “Sob Mil Disfarces, de Craig Clevenger”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s