Maré Voraz, de Amitav Ghosh

Eles dois, Fokir e ela, poderiam muito bem ter sido rochedos ou árvores, de tão pouco que sabiam um sobre o outro, e o fato de não conseguirem se comunicar não era de certa forma melhor, mais honesto? Pois, comparada à maneira  como os ecos dos golfinhos espelhavam o mundo, a linguagem não passava de uma cartola cheia de truques, que faziam você se julgar equivocadamente capaz de ver através dos olhos de outra pessoa.

Adentrando em terrenos que nunca me aventurei, dessa vez decidi ler um romance de um autor indiano, por recomendação do colega Marlo Renan. E uau, fiquei maravilhado com a leitura.

Maré Voraz, do indiano Amitav Ghosh, se passa nas Sundarbans, região da baía de Bengala, próximo da Índia. O “País das Marés”, como é chamado, é consistido de inúmeras ilhas, rios e mangues e varias comunidades vivem nessas ilhas. É nesse cenário que acompanhamos Piya (uma bióloga marinha norte-americana), Kanai (um empresário  especializado em tradução) e Fokir (um humilde pescador), cada um em busca de algo no País das Marés. Falar além disso é estragar boa parte da trama.

Ghosh escreve de maneira simples e direta, com descrições excelentes. Eu mesmo não conhecia a região antes de ler o romance, depois que procurei imagens vi que batia perfeitamente com o que eu tinha imaginado pelas descrições. Toda a trama é bem construída, assim como os personagens que são profundamente desmontados e remontados. Ghosh teve também o cuidado de exibir muito bem toda a cultura do País das Marés, explicando com detalhes lendas e crenças de seu povo. Na obra são abordadas também questões ambientais e políticas, endossadas com fatos verídicos colocados de maneira bem concisa na trama.

A melhor característica, sem sombra de dúvidas, são seus personagens. Vários e vários capítulos são utilizados pra descrever e desvendar cada um dos personagens da trama, sendo que detalhes importantes são adicionados a cada minuto. Ghosh teve um cuidado muito grande ao construir personagens extremamente verossímeis, tornando cada um deles muito especial. A trama em si é muito simples e arrastada, os capítulos se intercalam muito entre passado e presente e em tramas secundárias e isso pode afastar a maioria das pessoas. E mesmo sendo um texto bem direto, as vezes quase técnico, várias sutilezas estão presentes, trazendo assim algumas pequenas surpresas.

Eu gostei muito do que li. Pouco a pouco os personagens e a trama foram crescendo dentro de mim, eu realmente me sentia assistindo tudo de perto. Gostei também da maneira que as questões ambientais e sociais foram colocadas, todas elas fluíram de maneira muito natural. Outro destaque pra mim foi o rumo e amadurecimento da maioria dos personagens, algumas coisas tomaram rumos diferentes do que eu imaginava. As partes finais foram bem surpreendentes também, com fatos e revelações muito interessantes. E por fim o livro explora inúmeros sentimentos e características humanas, digamos que trata de tudo um pouco de uma maneira muito boa. Mas só faltou um ponto para ser inesquecível: o livro todo poderia ser mais enxuto, muitos pontos são longos sem muito sentido e algumas explicações poderiam ter sido simplificadas. E seria muito útil também um glossário das várias palavras em bengali espalhadas pelo texto (e olha que são muitas), muitas vezes eu tive que pesquisar o que significava cada palavra para entender completamente.

De qualquer maneira Maré Voraz é uma leitura fascinante, um passeio incrível por uma região única e interessante .

 

*Leia aqui um trecho do livro

Anúncios

5 comentários em “Maré Voraz, de Amitav Ghosh”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s