The Wind-up Bird Chronicle, de Haruki Murakami

Em um subúrbio de Tókio um homem chamado Toru Okada procura pelo gato perdido de sua esposa. Essa busca, que parece simples e ordinária, se revela na verdade em algo que muda completamente a vida de Toru Okada: o rapaz acaba se envolvendo com várias pessoas inusitadas e percebe que não é somente o gato o alvo de sua busca.

‘The Wind-Up Bird Chronicle’ é, pra mim, a obra mais surreal do Murakami, pelo menos até o momento. Desde as primeiras páginas já dá pra sentir uma atmosfera intrigante, que vai ficando cada vez mais forte (beirando o bizarro algumas vezes), em um universo em que sonho e realidade se confundem e se complementam. A estrutura da narrativa varia em cada uma das três partes, sendo que mais pro fim tudo fica meio misturado, as informações passam a ser exibidas de forma confusa, intencionalmente. Praticamente um quebra-cabeça.

Como é de praxe, as principais características do Murakami estão ali, mas dessa vez a exploração é diferente. Sim, os personagens estão imersos na solidão, mas nada tão melancólico como em outras obras do autor. Toru Okada não é inerentemente solitário, ele aos poucos vai se transformando por conta dos acontecimentos da história. Diria até que ‘solitário’ não é o termo correto, mas algo como ‘vazio’… De qualquer maneira, ele é interessante por conta de suas decisões durante a trama. Os outros personagens também são bem legais, como a mórbida Mai Kasahara, a exótica Creta Kano e o misterioso Tenente Mamiya — sendo que seus relatos são simplesmente brutais, meus trechos favoritos na história. E temos também, finalmente, Noboru Wataya, que funciona como uma espécie de vilão — recurso esse que Murakami normalmente não utiliza.

Sim, a leitura não é fácil, mas ‘The Wind-Up Bird Chronicle’ é excelente. Não recomendo para quem gosta de histórias ‘mastigadas’, pois a cronologia da trama tem que ser montada pouco a pouco e os acontecimentos dão margem à diversas interpretações — fica para o leitor a tarefa de chegar às conclusões dos acontecimentos. Uma pena que infelizmente o livro não foi traduzido (ainda) para o português brasileiro (o de portugal sim!). Sem dúvidas The Wind-Up Bird Chronicle é uma das melhores obras de Murakami.

*Infelizmente a capa que ilustra o post não é a mesma capa da minha edição (a minha é essa). Acho essa do post é bem mais bonita…

Anúncios

4 comentários em “The Wind-up Bird Chronicle, de Haruki Murakami”

  1. Olá!

    Depois de ler a sua resenha, “The Wind-Up Bird Chronicle” me pareceu uma ótima pedida, não só para reencontrar Murakami, como também para vê-lo redigir uma história bem diferente do habitual. Gostei da idéia de o enredo não seguir uma cronologia definida, isso me faz lembrar de Alejandro González-Iñárritu, cujos filmes não passam de recortes aleatórios que o espectador deve ir costurando com atenção. É um recurso interessantíssimo.

    O fato de, neste livro, Murakami deixar aspectos da trama sem uma resposta palpável não me surpreende muito – aliás, é algo esperado – porque toda a obra dele segue essa filosofia de deixar o leitor pensando no final. Especialmente nesse escritor, relego o fantástico ao plano de delírios cujas causas não importam muito – em outras palavras, o que importa é a bela viagem surreal, e não o destino final.

    Em detrimento das minhas, as suas resenhas são muito úteis, porque falam bastante da obra abordada. Os meus textos às vezes são pessoais demais e eu dedico pouco espaço ao livro em si.

    Abraços! 😀

    1. Então Marlo, talvez você tenha entendido mal o que eu falei. A questão não é que o enredo não siga uma cronologia definida (ele segue sim), mas sim a maneira que ele é apresentado na terceira parte, com as informações misturadas e com vários trechos inconclusivos que fazem o leitor pensar nas possibilidades.

      Concordo com você a questão do fantástico, e nesse caso é sem sombra de dúvidas a trama mais fantástica do Murakami que li até agora. E é legal isso pois dá espaço pra várias especulações.

      Hahahaha, poisé! Acaba que eu analiso demais a obra em si e não falo tanto da minha experiência com a leitura… Vou ver se deixo levemente mais pessoal, acho interessante o que você faz nos seus textos =D

      Té mais!

  2. konichiwa! boku wa Faru no brogu o yomu no ga suki desu!

    olá! “wind-up bird” foi meu primeiro murakami, e é um livro que mora no meu coração. depois eu comento melhor sua resenha (tô pra sair do pc, rsrsrs), só quis deixar um comentário pra dizer que seu blog é muito bacana (pq aparentemente você gosta das mesmas coisas que eu: murakami, shigesato itoi, cultura japonesa em geral) acabei de favoritar aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s