Além do bem e o mal

Beyond Good & Evil

4 estrelas!

Beyond Good & Evil é um jogo de aventura lançado para todas as plataformas “de mesa” em 2003.

Jade é uma fotógrafa freelancer que vive com o seu “tio” Pey’j (que é um porco-humanóide) no planeta Hillys. Hillys está passando por uma crise: uma raça alienígena chamada DomZ está atacando o planeta constantemente, raptando seus habitantes e destruindo tudo. O governo do planeta afirma que tudo está sobre controle com a ajuda das Alpha Sections, espécie de exército do lugar. Jade então recebe uma proposta de trabalho simples: tirar fotos de uma criatura dentro de uma caverna, nada de mais. A partir disso Jade começa a se envolver com uma organização que afirma que as Alpha Sections não está tentando impedir a invasão alien, mas sim os ajudando. Cabe agora a Jade conseguir evidência suficiente para convencer os habitantes de que os DomZ não estão agindo sozinhos.

BG&E tem ótimos gráficos para a época em que foi lançado. Os modelos são bem trabalhados e os efeitos de iluminação são muito convincentes, já a movimentação dos personagens não é tão natural (Jade parece bem artificial em certos movimentos), mas nada que estrague a experiência.

A jogabilidade é variada e ajuda a quebrar e diversificar o ritmo. Na maior parte do tempo Jade estará explorando locais e resolvendo os variados puzzles. Quando inimigos aparecem inicia-se um combate em que Jade utiliza um bastão para atacar as criaturas. O estilo de batalha é parecido com Zelda e similares, mas bem mais simples. Os combates também não são muito freqüentes. Outro momento é a espionagem: Jade tem que percorrer vários lugares sem ser vista por guardas e câmeras. Existe também sempre um personagem npc que auxilia Jade nas batalhas e puzzles.

A dublagem é competente, mas não é nada além disso, parecendo artificial muitas vezes. A trilha sonora é muito boa e ajuda a compor o clima necessário em cada cena. São músicas que vão de belos instrumentais a composições techno. Os sons cumprem o seu papel, sem destaques.

A grande maioria das personagens são extremamente carismáticas, mas infelizmente a personalidade da grande maioria foi mal trabalhada. Nem mesmo Jade e Pey’j são bem trabalhados, com poucos detalhes sobre suas origens. A história também é simples e com poucas reviravoltas, mas prende.

Não são muitas localidades que podem ser visitadas, mas isso é compensado com algumas sidequests como, por exemplo, tirar fotos de todos os animais de Hillys e corridas de hovercraft. Existe também uma sidequest que só pode ser acessada através do site oficial, assim como um ranking mundial.

Mesmo com as baixas na história, Beyond Good & Evil é um jogo imperdível. É uma pena que pouquíssima gente tenha jogado. É relativamente curto, mas vale a pena. Boatos apontam para uma continuação, o que seria ótimo para esclarecer detalhes do enredo. O melhor mesmo é deixar os preconceitos de lado e se divertir com este ótimo jogo =]

Anúncios

Um comentário em “Além do bem e o mal”

  1. “O melhor mesmo é deixar os preconceitos de lado”

    Falou e disse!

    Porque se você parar para pensar, a uma primeira vista a história pode parecer “boba”… mas esse jogo prova que estamos mesmo é cheio de “clichês” mentais e vícios quanto a tudo que nos cerca.

    VIVA A LIBERDADE DA MENTE.

    VIVA O FARUUUUUUUUUUUUUUU. (Leia todos os “U’s” e porfavor adicione também um “Fade-out” na voz.)

    [!]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s